O cruzamento da av. Paulista com a rua da Consolação, em São Paulo voltou a brilhar, com a reabertura do Cine Belas Artes, que teve o vermelho da fachada trocado por azul e se agora tem um novo nome, Cine Caixa Belas Artes.

A reabertura do Belas Artes, fechado em 2011, foi uma conquista dos cinéfilos paulistanos que não podiam aceitar o fim do espaço, se mobilizando com grande pressão popular. A reforma e reabertura aconteceu após uma parceria entre o proprietário André Sturm, a Caixa Econômica Federal e a Prefeitura de São Paulo.

[dt_divider style=”gap”/]

3

A festa de reabertura do Cine Caixa Belas Artes levou ao local cerca de 2 mil pessoas. Além de formar uma fila quilométrica desde as 13 horas, o público lotou duas pistas, que foram interditadas pela CET em frente ao cinema para que o público assistisse ao show da banda Mustache e os Apaches e participasse da reinauguração do espaço, fechado desde 2011.

A banda começou sua apresentação por volta das 15h30 e parou às 16h em ponto. Foi a vez então de o prefeito Fernando Haddad, o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, o diretor e proprietário do Belas Artes, André Sturm, e Beto Gonçalves, do Movimento Belas Artes, cortarem a faixa inaugural e abrirem oficialmente as portas do novo Cine Caixa Belas Artes.

A estrutura original foi reformulada, incluindo a parte elétrica, o ar condicionado, as poltronas, e  o sistema de som, projeção e iluminação, com exceção das paredes. Todas as salas têm cadeiras numeradas, rampas de acessibilidade e assentos próprios para cadeirantes e obesos, além de projetores digitais. Três delas terão projetores de película 35mm.

2

Os ingressos custarão R$ 20, estudantes poderão pagar meia-entrada, e trabalhadores pagarão metade do valor às segundas-feiras, bastando apresentar um comprovante do trabalho.

Após a cerimônia de reinauguração, as pessoas começaram a entrar no cinema e comprar ingressos para a primeira sessão de Aos Ventos que Virão, o primeiro filme a ser exibido. O filme, dirigido por Hermano Penna, é o primeiro brasileiro a ser exibido nesta nova fase do complexo. “Estou muito feliz. É simbólico poder exibir meu novo filme nesta reabertura. Logo eu, que em 1983 também exibi meu filme, Sargento Getúlio, quando o Belas Artes reabriu após ter sofrido um incêndio. Eu reinaugurei duas vezes este cinema”, disse Penna, que apresentou seu filme na sala 2 e dedicou a sessão ao escritor João Ubaldo Ribeiro.

Iniciativas clássicas do Belas Artes, como o Noitão e o cineclube, estarão de volta em agosto. Nos próximos meses, o cinema receberá retrospectivas dos diretores Jia Zhangke, da China; do norte-americano Gus Van Sant, e também mostras de filmes paraguaios e africanos.

1