Produções chilenas recentes que mereceram elogios no circuito internacional e são assinadas por novos talentos da cinematografia daquele país estão em destaque na 12ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, que acontece de 26/07 a 2/08 em 26 espaços culturais das cidades de São Paulo e Campinas.

Batizado de Foco Chile, o programa reúne os longas-metragens “Jesus”, de Fernando Guzzoni, “Más Companhias”, de Claudia Huaiquimilla, “Rei”, de Niles Atallah, e “Vida em Família”, de Cristián Jiménez e Alicia Scherson. São obras finalizadas em 2016 e 2017 que circularam em festivais prestigiosos, como Roterdã, Sundance, Toronto e Guadalajara. Todos os filmes têm representantes confirmados em São Paulo. Realizada em parceria com o Ministério das Relações Exteriores do Chile, a programação é resultado das políticas públicas voltadas ao audiovisual daquele país, que têm levado o cinema chileno às principais vitrines internacionais, onde tem sido elogiado por sua diversidade e seu vigor.

Dirigido por Fernando Guzzoni, um dos nomes mais promissores do novo cinema chileno, “Jesus” (Chile/Colômbia/França/Alemanha, 2016) focaliza um jovem que dança em um grupo de música pop coreana e está em busca de sua identidade. Ele vai envolver-se em um fato irreversível e, em pânico e se sentindo culpado, procura a ajuda de seu pai – mas manter o segredo será uma tarefa cada vez mais complicada. Inédito no Brasil, o filme teve boa acolhida em festivais internacionais, como San Sebastián, Miami, Havana, Toulouse, Toronto, Mar del Plata e Tessalônica. Guzzoni – que tem presença confirmada no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo acompanhado pelo ator Alejandro Goic – estreou com “La Colorina” (2008), documentário ganhador do prêmio de melhor filme no Festival de Trieste, na Itália. “Carne de Perro” (2012), seu segundo longa, foi escrito na residência do Festival de Cannes e ganhou mais de 15 prêmios internacionais.

“Más Companhias”, de Claudia Huaiquimilla, acompanha um adolescente que, após cometer mais um delito, é enviado para morar com seu pai no campo, onde faz amizade com um tímido jovem da etnia mapuche. Um conflito político na região e as más relações com seus pais os obrigam a enfrentar juntos os preconceitos que tornam ainda mais difícil sua já complicada adolescência. Vencedor do Festival de Valdívia, o longa-metragem é inédito no Brasil e circulou em eventos como Guadalajara, Toulouse, Gotenburgo e Palm Springs. Como o protagonista da obra, a diretora Huaiquimilla tem origem mapuche e o resgate de suas raízes indígenas e os traumas infantis são temas de seu interesse. O ator Ariel Mateluna, do elenco do filme, tem presença confirmada no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo.

Merecedor de prêmio especial do júri por “resultados artísticos excepcionais” no Festival de Roterdã deste ano, o segundo longa-metragem de Niles Atallah “Rei” (Chile/França/Holanda/Alemanha, 2017) aborda acontecimentos ocorridos em 1860. Foi quando um aventureiro francês de 35 anos partiu para Araucanía, uma região inóspita no sul do Chile, com o intuito de fundar um reino. Ele obteve aval do chefe indígena da região – mas, ao chegar, descobre que este havia morrido. Sem apoio, é preso pelo governo chileno, que vê no estrangeiro um perigo, e tem que justificar sua viagem para não ser exilado. O diretor Niles Atallah teve seu primeiro longa-metragem, “Lucía” (2010), premiado no Festival de San Sebastián. “Rei” é inédito em São Paulo e já foi premiado nos festivais de Toulouse e FICUNAM – Festival Internacional de Cine UNAM (México). O ator Rodrigo Lisboa, que vive o protagonista do filme, tem presença confirmada em São Paulo, para acompanhar as projeções do filme.

Dos diretores Cristián Jiménez e Alicia Scherson, “Vida em Família” (2017, inédito no Brasil) tem por protagonista um homem de 40 anos, sem trabalho, filhos ou esposa, que fica encarregado de cuidar da casa de um primo distante. Aos poucos, ele se esquece de seu plano original de desfrutar do silêncio e se recuperar da morte de seu pai, ficando cada vez mais fascinado pela casa e a ideia de ter uma família. A obra esteve na programação de badalados festivais, como Roterdã e Sundance, tende recebido o prêmio de melhor filme no Festival de Miami. Integrante do elenco, a atriz Blanca Lewin acompanha as exibições do filme em São Paulo. O diretor Cristián Jiménez é conhecido por “Ilusões Óticas” (2009) e “Bonsai” (2011), ambos selecionados para o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo. Já a cineasta Alicia Scherson teve seu “El Futuro” (2013) programado no Festival de Roterdã.

 

Com curadoria e direção assinadas por Jurandir Müller e Francisco Cesar Filho, o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo é uma realização do Memorial da América Latina, da Secretaria de Estado da Cultura, e da Associação do Audiovisual. Uma iniciativa do Ministério da Cultura / Lei Federal de Incentivo à Cultura, o evento conta com patrocínio da Petrobras, Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo e Imprensa Oficial, sendo uma correalização do Instituto CPFL, Sesc São Paulo e Spcine.

12º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo
http://www.festlatinosp.com.br/
https://www.facebook.com/festlatinosp
26 de julho a 2 de agosto de 2016
abertura: 26 de julho de 2016, quarta-feira, às 20h30, no Memorial da América Latina

 

locais: Memorial da América Latina (Praça Cívica, Biblioteca Latino-Americana e espaço PETROBRAS de encontros), Cinesesc, Instituto CPFL, Circuito Spcine Olido, Circuito Spcine Paulo Emílio, Circuito Spcine Lima Barreto, Circuito Spcine Cidade Tiradentes, Circuito Spcine Roberto Santos, Circuito Spcine Aricanduva, Circuito Spcine Butantã, Circuito Spcine Caminho do Mar, Circuito Spcine Fetiço da Vila, Circuito Spcine Jaçanã, Circuito Spcine Jambeiro, Circuito Spcine Meninos, Circuito Spcine Parque Veredas, Circuito Spcine Paz, Circuito Spcine Perus, Circuito Spcine Quinta do Sol, Circuito Spcine São Rafael, Circuito Spcine Tres Lagos, Circuito Spcine Vila Atlântida, Circuito Spcine Vila do Sol e Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo

 

realização: Memorial da América Latina / Secretaria de Estado da Cultura e Associação do Audiovisual

iniciativa: Ministério da Cultura / Lei Federal de Incentivo à Cultura

 

patrocínio: Petrobras, Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo e Imprensa Oficial

 

correalização: Sesc São Paulo, Spcine e Instituto CPFL