O Anima Mundi foi criado em 1993 com um Festival que, no primeiro ano, recebeu 7 mil pessoas no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, e exibiu 144 filmes.

Hoje o Anima Mundi se tornou uma plataforma de animação que oferece experiências para animadores, educadores, produtoras e, claro, animaníacos.

A partir daí, os números cresceram ano a ano até que, em 1997, foi realizada a primeira edição do evento em São Paulo.

Entre as iniciativas estão o Anima Mundi Itinerante, o projeto Anima Escola, os cursos de animação e distribuição de conteúdo para diferentes meios.

No Rio de Janeiro, o Festival ocupou o Centro da cidade, com exibição de sessões em sete locais. Além de um espaço em Ipanema, na zona sul, e outro na Zona Norte, em Guadalupe.

Em São Paulo, o festival ocupa mais uma vez na Cinemateca Brasileira e no Cine Belas Artes, além de Senac Lapa Scipião e Circuito SP Cine.
No total, serão exibidos mais de 400 curtas e seis longas, de 45 países. 108 desses filmes são brasileiros.

Os espectadores podem se preparar para uma verdadeira maratona: os mais de 400 filmes selecionados vieram de 45 países, incluindo Estados Unidos, Canadá, Holanda, Alemanha, Rússia, Portugal, Irã, Argentina, Itália, Chile, Moçambique, Japão, Grécia, Turquia e Austrália.

Entre os longas está “The Red Turtle”, produção que despertou a atenção do júri do último Festival de Cannes e recebeu o Prêmio Especial do Júri na mostra ‘Un Certain Regard’. O filme, produzido pelo holandês Michael Dudok de Wit (Oscar em 2001 pelo curta ‘Father and Daughter’) em parceria com o tradicional Studio Ghibli, do Japão, terá sua primeira exibição no Brasil no Anima Mundi.

A venda de ingressos acontece nas bilheterias dos cinemas e, também, pela internet.

Com a mão na massa
O Estúdio Aberto do Anima Mundi já foi palco dos primeiros passos de grandes animadores.

Nessa edição, o Estúdio de Ideias Petrobras acontece em São Paulo, na Cinemateca, com as oficinas de massinha, para pessoas a partir de 8 anos e pixilation, a partir de 6 anos. As oficinas acontecem de 14:00 as 20:00, na Cinemateca Brasileira, por ordem de chegada na fila.

Convidados
O animador homenageado deste ano é Cesar Cabral, autor do premiado “Dossiê Rê Bordosa” e especialista em stop-motion. No Anima Mundi, ele fará uma Papo Animado onde  vai falar sobre a construção de bonecos para filmes de animação.

Além de Cesar Cabral, o Papo Animado vai receber as presenças do francês Marc Jousset – produtor de “O Menino da Floresta” e diretor de arte de “Persépolis” – e do alemão Jacob Frey, vencedor do Anima Mundi 2015 na categoria Melhor Filme Infantil com o curta ‘O Presente’. Eles vão contar para o público sobre o seu processo criativo e também mostrarão trechos de suas obras em sessões especiais.