Dez mulheres foram escolhidas em Santos para receber o Prêmio Dandara. Elas se destacaram na condução de políticas públicas relacionadas a diversas áreas como cultural, social, esportiva e de empreendedorismo no Município e foram homenageadas na segunda-feira (21), no Cine Roxy 5 (Avenida Ana Costa, 443, Gonzaga).

A iniciativa foi do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra (CMPDCN) e da Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial e Étnica (Copire)

Tratou-se da quarta ocasião em que o Cine Roxy sediou uma premiação do Conselho da Comunidade Negra. As anteriores foram duas edições do Troféu Zumbi dos Palmares e uma da medalha Quintino de Lacerda.

Criado em 2016, o evento ficou suspenso durante os últimos dois anos devido à pandemia da covid-19 e retorna agora para premiá-las. Nesta edição, foram eleitas representantes femininas que vêm executando trabalhos sociais importantes em suas comunidades, por exemplo, explica o coordenador da Copire, Ivo Evangelista. O objetivo, segundo ele, é tirá-las da invisibilidade.

ORIGEM

O nome da premiação refere-se a uma das principais figuras da luta negra contra o regime escravocrata brasileiro. Dandara era guerreira, mulher de Zumbi dos Palmares e participou de maneira intensa na construção e comando do quilombo. Teve três filhos. Suicidou-se depois de presa, em 6 de fevereiro de 1694, para não retornar à condição de escrava.

Descrita como heroína, dominava técnicas da capoeira e teria lutado ao lado de homens e mulheres durante ataques ao Quilombo de Palmares, construído na Serra da Barriga, região de Alagoas, no final do século 16.

Confira a lista das homenageadas

Ana Célia da Silva Vieira

Débora Pereira de Souza

Egle Rodrigues Pereira

Elaine Elisabete Horácio de Souza Pedroso (mãe Bete)

Maria Sueli Bueno

Mônica Viana

Simone da Cruz (Obassy)

Suzete Faustino dos Santos

Vanessa Keite de Souza

Verônica de Abreu