Será que a Turma da Mônica vai seguir os mesmos passos que seu criador, Mauricio de Sousa, e envelhecer com o passar do tempo?

O Maurício de Souza não conta, mas adianta que está em produção uma revista que envelhecerá os personagens ano a ano, acompanhando a história atual do Brasil.

“Vai ser um projeto jornalístico”, afirma Mauricio, que pretende fidelizar o leitor que acompanha a Turma da Mônica desde seu lançamento, em 1959.

E novidades é o que não faltam na empresa criada pelo ex-repórter policial que virou desenhista e passou por “Folha de S.Paulo”, Abril e Globo.

Hoje na Panini, multinacional italiana, quer internacionalizar ainda mais seus personagens, que, entre quadrinhos e tiras de jornais, já estão em 30 países.

Com 1 bilhão de revistas publicadas, responde por 86% das vendas do mercado brasileiro. É considerado o maior formador de leitores do Brasil.

No ano que vem, prevê inaugurar o novo parque da Mônica e em 2016 lançar seu 16º longa-metragem, tendo Horácio como protagonista.

Para transformar sua empresa numa multinacional, diz que está trabalhando mais. “O bom de envelhecer é que a gente dorme menos”, diz. “Ganhei duas horas no meu dia.”

Diminuir o ritmo não está nos seus planos: “É como andar de bicicleta; se parar, você cai.” Nas poucas horas vagas, dedica-se à família.

Para quem entrou na terceira idade, Mauricio manda um recado: “Cada idade é uma nova idade, com suas redescobertas e experiências”.Turma_Mônica_Velha cópia