A indústria pornô lucra bilhões por ano, contratando além de elenco, técnicos, editores, iluminadores, etc. Filmes pornô precisam inovar para não ficarem defasados, utilizando mulheres que correspondam à uma determinada tendência, fazendo paródias de filmes famosos, ou, mais recentemente, usando símbolos da Cultura Pop (Super Heróis) em suas “histórias”.

Na maioria das vezes, este mercado dita como a tecnologia deve ser utilizada. A novidade agora é a utilização do conceito da acessibilidade, com o lançamento dos filmes pornôs para pessoas cegas ou com baixa visão.

O site PornHub, uma versão pornô do Youtube, lançou vídeos com algumas cenas com a tela inteira azul e com vídeo inteiramente descritivo.

Foi lançada uma coleção de 50 vídeos, dentre hétero, gay, bi e transexual. A descrição das cenas é feita pelo elenco que participa das cenas.

O PornHub explica: “Nosso vídeo descritivo procura ajudar aqueles que são visualmente incapacitados. Queremos que o nosso site seja acessível a todos”.

Os vídeos são feitos para pessoas parcialmente ou totalmente cegas, utilizando descrição de como é o cenário, os atores fisicamente, o que eles estão vestindo e as posições em que eles estão. Entretanto, o vídeo continua com o áudio original da gravação, o que pode atrapalhar um pouco.

A maioria dos vídeos, lançados pela divisão filantrópica Ponhub Cares, já alcançaram mais de 200 mil visualizações.O Pornhub Cares já lançou outras campanhas, incluindo uma linha de roupas contra a violência doméstica e também contra o câncer de mama, chamado “Save the Boobs” (Salve os Peitos, em português) aonde, a cada 30 vídeos com as tags “peitos grandes” ou “peitos pequenos” que fossem assistidos, a companhia doava 1 centavo para a campanha.

O Pornhub foi lançado em 2007 e tem mais de 60 milhões de vídeos assistidos por dia.