Com um acervo composto por aproximadamente 6 mil peças entre equipamentos tiflológicos (máquinas braille de várias épocas, regletes, sorobãs e equipamentos de reabilitação e autonomia na vida diária), imagens fotográficas, audiovisual, material auditivo, arquivos de memória oral, publicações, documentos referentes aos serviços, movimentos, projetos e iniciativas internacionais e nacionais em defesa dos direitos das pessoas com deficiência, o Centro de Memória Dorina Nowill foi o primeiro espaço cultural brasileiro que considerou a cultura da deficiência visual como patrimônio histórico. Sua missão é apresentar a história da luta das pessoas com deficiência visual no Brasil e no mundo.

Com 10 anos de existência, o espaço passou por um processo de renovação museológica em 2012: foi construída uma nova área de exposição com recursos de acessibilidade para pessoas cegas e com baixa visão – o Espaço Memória, novas instalações para reserva técnica de guarda do acervo e ampliação da área de exposição e visitação que inclui diversas áreas de produção e atendimento da instituição.

O espaço conta com educadores capacitados, audioguia e maquete tátil, que auxiliam os visitantes durante a visita à exposição “E tudo começou assim: ações, projetos e histórias que mudaram a vida das pessoas com deficiência visual“. A circulação, mobiliário, altura dos painéis com textos e imagens são adequados para pessoas em cadeiras de rodas, pessoas de baixa estatura e crianças. Todos os textos de exposição e legendas das peças expostas contam com versão em braille e fonte ampliada, além da Pentop, um recurso inovador que permitirá a descrição das sessões da exposição e maquetes.

Além da parte histórica, também é possível conhecer a maior gráfica braille da América Latina e o acervo da biblioteca com livros e filmes disponíveis para locação.

Agendamento de visitas:
Centro de Memória Dorina Nowill Segunda a Sexta – das 8h às 18h
[email protected]
www.fundacaodorina.org.br

As visitas com educador são realizadas gratuitamente às terças, quartas e quintas e podem ser agendadas pelo telefone (11) 5087-0955. O Centro de Memória Dorina Nowill está localizado na Rua Dr. Diogo de Faria, 558, Vila Clementino – São Paulo.

Sobre a Fundação Dorina

A Fundação Dorina Nowill para cegos há 66 anos facilita a inclusão social de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão, por meio de reabilitação, educação especial, programa de empregabilidade, bem como a produção e distribuição de livros e revistas acessíveis, que são distribuídas gratuitamente para pessoas com deficiência visual e para mais de 5.000 escolas, bibliotecas e organizações em todo o Brasil.

21