Em cerimônia realizada na quinta-feira (27/03/2014), a 3ª Mostra Ecofalante de Cinema anunciou os filmes premiados na competição latino americana.

  O filme “Deserto Verde”, de Ulises de la Orden, foi escolhido pelo júri – composto por Evaldo Mocarzel, Paulina Chamorro e Fábio Luiz Vasconcelos – como o melhor filme por fomentar o debate sobre segurança alimentar e o uso da terra utilizando uma linguagem que contempla o particular e o global, denunciando o descaso com a saúde humana e ambiental. O filme, de 2013, aborda como diferentes pesticidas têm sido utilizados ao longo de mais de um século, sempre escondendo os efeitos prejudiciais à saúde, e mostra que existem maneiras de se criar riqueza, produzir alimento e exportar para o mundo sem intoxicar as pessoas.

  O brasileiro “Amazônia Desconhecida”, de Daniel Augusto e Eduardo Rajabally, foi escolhido pelo público como o melhor filme da competição. O documentário aborda os conflitos na Amazônia brasileira hoje, acompanhando o cotidiano de diversos grupos sociais que lutam por seu espaço, como índios, fazendeiros, sem terra, garimpeiros etc, e busca mapear o perfil atual e as consequências da ocupação humana.

  O júri concedeu menção honrosa ao curta “Paal”, de Christoph Müller e Victor Vargas Villafuerte, por exaltar a natureza de forma lúdica e poética sob o olhar de um menino integrado à exuberância e à dinâmica da floresta. Coprodução México/Canadá/Suíça, o filme explora o dia a dia e a cultura da cidade e da natureza exuberante da floresta de Yucatán, no sul do México, pela ótica de Memo, garoto maia cujo maior sonho é contar as histórias de seu povo.

  Participaram da competição latino americana 13 filmes, de vários países da América Latina: México, Argentina, Chile, Brasil, Uruguai, Peru, Bolívia e Equador.

 Repescagem

 Embora a 3ª Mostra Ecofalante de Cinema tenha se encerrado no dia 27 com a premiação do melhor filme latino americano, o Centro Cultural São Paulo exibe ainda alguns fimles de 28 a 30 de março: “Guerra de Areia”, “Montanhas Enevoadas”, “A Criação como a Vimos”, “Floresta dos Espíritos Dançarinos”, “Figurões”, “Promessa de Pandora” e “Desconectado”, além de dois filmes do cineasta japonês Kaneto Shindo: “Onibaba – A mulher Demônio” e “A Mãe”. A programação está disponível no site da Mostra (ecofalante.org.br/mostra).

 A realização da 3ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é possível graças ao apoio do Governo do Estado de São Paulo – Secretaria de Estado da Cultura, Programa de Ação Cultural 2013, através do qual patrocinam o projeto a Eaton e White Martins. O evento conta com apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Programa de Pós-Gradução em Ciência Ambiental da USP (Procam), Instituto de Estudos Avançados da USP, Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, Centro Universitário Maria Antônia, Cinusp, Secretaria Municipal de Cultura, Centro Cultural São Paulo, Galeria Olido, Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, Rede Nossa São Paulo, Instituto Pólis, Instituto Pepsico, Instituto Akatu, Matilha Cultural, Le Monde Diplomatique Brasil, Revista Piauí, Instituto Envolverde, Rádio Eldorado, Rádio Estadão e Catraca Livre.

462495308_640

Deserto Verde

Green Desert

Ulises de la Orden Argentina, 2013, 84′

O uso de produtos químicos na produção agrícola tem mais de um século. Diferentes pesticidas têm sido utilizados, sempre escondendo os efeitos prejudiciais à saúde. Mas o enorme avanço das fronteiras agrícolas levou o uso dessas substâncias a uma situação de abuso, intervindo na produção de milhões e milhões de hectares: alimento que chega à nossa mesa, juntamente com o veneno. Existem maneiras de se criar riqueza, produzir alimentos e exportar para o mundo sem nos intoxicar. Não vamos engolir o contrário. *DIRETOR PRESENTE NA MOSTRA