A Prefeitura de São Paulo planeja disponibilizar redes Wi-Fi grátis, sem cadastro e senha, até outubro. Até o dia 27/06/2014, 18 pontos estavam instalados.

Infelizmente cobrir a cidade inteira com sinal de internet é impraticável, segundo Eduardo Tude, engenheiro e presidente da consultoria especializada Teleco.

O maior empecilho seria a  manutenção das redes e não é o custo de implantação. A prefeitura instala um poste, depois o cabeamento de energia. Em seguida, vem a energia em si. Só então é colocado o roteador e, por último, as placas informativas. Esse processo engloba duas secretarias municipais, as duas empresas que venceram a licitação e a Eletropaulo, do governo do Estado.

Apesar da burocracia, é mais difícil fazer com que a rede mantenha-se estável. Nos locais em que há maior circulação, como a Sé, a administração estima que até 500 pessoas poderão usar o Wi-Fi ao mesmo tempo sem descumprir os requisitos mínimos, mas quanto mais usuários, menor a velocidade.

A banda almejada pelo programa, de 512 kbps, não é tão larga assim. A ITU (União Internacional de Telecomunicações), agência ligada à ONU, não inclui essa velocidade na categoria de banda larga.

Esta rede seria suficiente para navegar, publicar fotos e, até  baixar aplicativos leves, mas nada de fazer downloads pesados ou assistir a vídeos longos em “streaming”.

Para garantir que os critérios mínimos sejam cumpridos, dados de fluxo de todas as redes estarão on-line, em planilhas da Prodam, companhia de tecnologia da informação da prefeitura. Qualquer um poderá baixá-las e aferir se cada rede tem oferecido os 512 kbps, além de perceber quais são os pontos mais populares.

Conforme o uso, a administração pode decidir por aumentar a capacidade das redes Wi-Fi em até 25%.

As duas empresas contratadas para prestar o serviço, WCS e Ziva Tecnologia, assinaram contratos com duração de três anos, no valor total de R$ 27,6 milhões. As empresas tem de garantir cobertura de ao menos 75% da área em praças e de 50% em parques.

A prefeitura tem o compromisso de instalar 43 das 120 redes até o final deste ano, mas o prefeito de SP deseja que todas sejam entregues até outubro, segundo João Cassino, coordenador de conectividade e convergência digital.

Conforme o programa avança, é mais simples instalar redes novas.

Prefeitura está instalando wi-fi grátis em SP