A história de Paradinha Cerebral – que estreia dia 20 de julho no Teatro 2 do Fashion Mall – se desenvolve a partir de uma entrevista ficcional que contém muitos elementos biográficos dos atores envolvidos.

A dramaturgia original criada por Iuri Saraiva foi baseada nas experiências de Cassiano Fernandez e Mirna Rubim, cantora lírica e atriz, que na vida real é sua professora de canto.

Com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, o espetáculo faz parte do Circuito Cultural Cidade Olímpica. A temporada acontecerá às quartas e quintas, às 21h30, até o dia 29 de setembro.

Sinopse:
Preocupados com uma curva de baixa audiência, os produtores
do talkshow “Show da Madá” resolvem trazer um convidado inusitado ao programa: o jornalista, cantor lírico, cadeirante e paralisado cerebral Cassiano Fernandez (Cacá). A apresentadora Maria Madalena (interpretada pela cantora lírica e preparadora vocal Mirna Rubim) é pega de surpresa por um entrevistado
livre de neuroses e com um humor peculiar. Nesse encontro regado com muita música, rivalidade e recalques revelados, Madá terá que encarar seu sonho frustrado de ser cantora e Cacá lhe dará lições ácidas e divertidas.

Durante a apresentação, os atores falam de maneira aberta de temas como preconceito, trabalho, sexo, inclusão e relacionamento entre as pessoas. A proposta da peça é mostrar toda espontaneidade e inteligência de um jovem e, quebrando
preconceitos, transformar a paralisia cerebral em um mero detalhe.

“A concepção da peça surgiu quando conheci Cacá Fernandez, que tem paralisia cerebral e lida muito bem com as barreiras cotidianas, contando suas aventuras com uma graça hilariante.

Isso é importante para que as pessoas da plateia coloquem em perspectiva a diferença” diz a produtora Lara Pozzobon, acrescentando que Paradinha Cerebral é um espetáculo no qual a arte transcenderá a condição de cada indivíduo. Lara possui
larga experiência em trabalhos voltados para inclusão e acessibilidade. É a curadora do Festival Assim Vivemos, Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência e responsável pela introdução da audiodescrição em eventos culturais no Brasil.
O texto do espetáculo foi escrito por Iuri Saraiva, jovem e premiado ator que também experimenta a escrita dramatúrgica e a direção teatral com inegável talento. A construção das cenas tomou como base elementos do cotidiano, experiências inusitadas e reflexões de Cacá Fernandez, além dos diálogos mantidos com a cantora
lírica Mirna Rubim, que o acompanha também no canto e piano em vários números musicais. A videografia que permeia o espetáculo será realizada por Daniel Gonçalves, jovem formado em jornalismo que dirige documentários, foi editor de programas de TV e, como Cacá, também tem paralisia cerebral.
O projeto foi vencedor do edital Cidade Olímpica, da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro. A peça terá acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva (audiodescrição e interpretação em LIBRAS em três espetáculos, nos dias 21 de julho, 25 de agosto e 15 de setembro.

Ficha técnica principal

Texto e Direção:
– Iuri Saraiva iniciou sua carreira em 1998 em Brasília. O ator manteve-se ativo na
cena local até o ano de 2011 acumulando mais de vinte espetáculos profissionais, peças publicitárias, filmes em curta e longa metragem, além de ser ganhador de três prêmios de melhor ator em festivais de cinema nacionais. No Rio de Janeiro o ator trabalhou com os diretores Delson Antunes, Ignácio Coqueiro, Luiz Arthur Nunes, João Batista e Alice Assef. Iniciou sua carreira na direção em 2010 com a peça “A Despedida” que foi selecionada para a o festival internacional de teatro “Cena Contemporânea” em 2011 e está atualmente trabalhando na sua remontagem. Em
breve iniciará a montagem de seu novo texto “TRATE-SE”. Paradinha Cerebral é seu terceiro trabalho como dramaturgo.

Atriz e Cantora:
Mirna Rubim – Cantora lírica e principal preparadora vocal dos espetáculos musicais do Rio de Janeiro; Doutora em Voice Performance pela Universidade de Michigan, USA (UMICH), Diretora do Estúdio VOCE e Coordenadora do Núcleo de Teatro
Musical da CAL – Centro de Artes de Laranjeiras. Dentre suas performances relevantes estão a abertura oficial do Teatro Municipal do Rio de Janeiro com Cristo no Monte das Oliveiras de Beethoven (2006); solista na Oitava Sinfonia de Mahler com a
Orquestra Petrobras Sinfônica, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e no Projeto Aquarius (2007). Gravou o CD/DVD bilingue “A Floresta do Amazonas” de Villa-Lobos,  sob a regência do maestro Isaac Karabitchevsky com a Orquestra Petrobras Sinfônica
(2010). Atuou no papel de Madre Superiora no musical “A Noviça Rebelde” (2008), “A Gaiola das Loucas” como Mme. Renauld, Mme. Dindon e supervisora vocal da peça (2010-2011). Na TV Globo trabalhou como atriz convidada em TomaLáDáCá, BoogieOogie,
Vida Alheia, Malhação e Joia Rara.

Ator e cantor:
Cassiano Fernandez – Jornalista, idealizador e administrador da página Código da Ópera. Foi editor da coluna sobre ópera do Informativo quinzenal do Instituto Brasileiro de defesa da pessoa com deficiência. É palestrante em eventos sobre pedagogia inclusiva. Aluno de canto lírico de Mirna Rubim. Tem paralisia cerebral.
Videografia :

Daniel Gonçalves – Formado em jornalismo pela PUC-Rio e pós-graduado em cinema documentário pela FGV. Dirigiu os documentários “Tem bala aí?” (2008); “Luz Guia”
(2012); “Como Seria?” (2014) e “Pela Estrada Afora” (2015), documentário para o programa Sala de Notícias do Canal Futura. Codirigiu e editou o curta “Cine Rolândia”
(2014), e foi roteirista e editor dos curtas “Os Olhos das Ruas” e “Ouvir com o Coração”. Editou 23 episódios da série Damas da TV e 13 episódios de Grandes Atores, para o Canal Viva. Atualmente prepara seu primeiro documentário de longa metragem. Tem paralisia cerebral.
Concepção e produção do espetáculo:

Lara Pozzobon – Mestre em Literatura Brasileira, doutora em Literatura Comparada, produtora das peças de teatro: “Cassino Coração” (2006/CCBB RJ), “Quartos de Tennessee” (2009/Centro Cultural dos Correios) e “Leonel Pé de vento” (2011/Oi
Futuro Flamengo – RJ); 7 edições do Festival Assim Vivemos, Festival Internacional de
Filmes sobre Deficiência; 2 longas-metragens de ficção, “Incuráveis” (2006) e“Mulheres no Poder” (2015); 4 curtas-metragens premiados em dezenas de festivais, entre 1999 e 2003; 4 mostras de cinema em três cidades (CCBB) e duas edições da
Mostra-curso História da Filosofia em 40 Filmes, realizada durante 18 meses no Teatro Nelson Rodrigues, Caixa Cultural RJ. Referência em acessibilidade, por ter introduzido
a audiodescrição em eventos culturais no Brasil em 2003, na primeira edição do Festival Assim Vivemos.

 

Paradinha Cerebral
Texto e Direção: Iuri Saraiva.
Elenco: Cassiano Fernandez e Mirna Rubim
Videografia: Daniel Gonçalves
Cenário e Figurino: João de Freitas
Concepção e Produção: Lara Pozzobon.
Patrocínio: Secretaria Municipal de Cultura, Fomento Cidade Olímpica
Estreia: 20 de julho, às 21h30.
Horários: Quartas e quintas-feiras, às 21h30, de 20 de julho a 29 de setembro.
A peça terá acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva (audiodescrição e interpretação em LIBRAS) em três espetáculos, nos dias 21 dejulho, 25 de agosto e 15 de setembro.
Classificação: 12 anos
Preço: R$ 60,00 inteira; R$ 30,00 meia.
Local: Teatro Fashion Mall sala 2 (Estrada da Gávea, 899/Loja 213 – São Conrado) –
Telefone: (21) 2422-9800.