Criativo e irreverente, Os Simpsons dominam a tv há 25 anos, inspirando outras animações e até séries em carne e osso. Homer, Margie, Lisa, Bart e Maggie conquistaram a audiência e seu lugar na história.

Matt Groening, um cartunista americano, estreava em 19 de abril de 1987, um desenho animado que se tornaria sua mais famosa criação. Os Simpsons eram apresentados como protagonistas de um dos quadros do programa de variedades The Tracey Ullman Show.

O produtor James L. Brooks encomendou a Groening uma adaptação de sua tirinha Life in Hell para o Tracey Ullman Show. Com medo de que pudesse perder os direitos autorais de sua criação, o cartunista decidiu, então, desenvolver novos personagens e assim nasceu Os Simpsons, a série animada que acompanha a vida de uma família amarela disfuncional de Springfield. A trama não dá abertura aos roteiristas para explorar diversas características dos personagens e situações.

Os Simpsons - 25 anos influenciando a cultura popular

Mesmo que a estrutura da família e as personalidades de cada sejam iguais desde sua origem, a aparência dos personagens evoluiu ao longo dos anos.

No início, os Simpsons eram desenhados com traços retos, que os deixavam com bicos e pontas, removidos quando a família ganhou seu próprio programa, em dezembro de 1989. A partir daí, as mudanças se tornaram sutis, indo desde a movimentação mais detalhada dos lábios durante as falas, aos corpos e gestos, até as cores de roupas e cenários.

Apesar de acompanhar o avanço tecnológico e aperfeiçoar a qualidade de exibição da série, osSimpsons permanece uma animação desenhada a mão, sem a interferência de computação gráfica.

O que não mudou, nos EUA,  ao longo desses 25 anos foram os dubladores. Dan Castellaneta (Homer), Julie Kavner (Marge), Nancy Cartwright (Bart) e Yeardley Smith (Lisa) , acompanham seus personagens desde o Tracy Ullman Show. Harry Shearer e Hank Azaria, respectivamente Moe e Mr. Burns, entraram para o elenco pouco tempo depois da estreia de Os Simpsons e também estão até hoje. Com exceção de  Yeardley Smith, todo o elenco dubla outros personagens além de seus protagonistas.

Uma das grandes marcas dos Simpsons é a sequência de abertura, que muda a cada episódio, como a música que Lisa toca ao saxofone, a frase que Bart escreve no quadro negro e, a mais notável de todas, o momento em que a família se senta ao sofá para assistir televisão. Um dos mais famosos couch gags, como ficaram conhecidos, é a Evolução de Homer, em que o patriarca da família Simpson ilustra, em pouco mais de um minuto, o desenvolvimento da vida na terra – passando pelos variados estágios das criaturas até a sua chegada na atualidade, sentando ao lado de sua família. Além das aberturas, outra peculiaridade são os especiais de Dia das Bruxas. Seguindo nas linhas de um programa de esquetes, “Treehouse of Horror” (“Casa da Árvore dos Horrores” em português) teve início na segunda temporada. Desde então, o especial se repetiu em cada temporada e já teve 22 edições.

Os Simpsons só ganhou sua versão em longa-metragem em 2007, 20 anos depois de sua primeira aparição na TV. Rumores dizem que o roteiro da adaptação teve de passar por 166 tratamentos antes de chegar à versão que foi exibida nos cinemas.

Há 25 anos no ar, a série já passou por muitos problemas envolvendo negociações de salários com os dubladores. Em 1998, os atores se envolveram em uma das maiores disputas com o estúdio até hoje. Executivos chegaram a se preparar para realizar sessões-teste para novas contratações, mas Groening ficou do lado dos atores e os ajudou a brigar por um aumento de salário. Com o crescimento da popularidade e, consequentemente, lucros de Os Simpsons, em 2004 surgiu uma nova disputa entre dubladores e estúdio. O mesmo aconteceu novamente em 2008 e, mais recentemente, em 2011. Mas a série já foi renovada para mais duas temporadas e está garantida até sua 25ª – quando chegará a incríveis 559 episódios.

Com tanto tempo de estrada, não faltam curiosidades sobre a família amarela.  Os Simpsons é, atualmente, o detentor do recorde de maior permanência de uma série animada no horário nobre estadunidense, derrubando “Os Flintstones”, além de maior número de participações especiais.

A série já ganhou 27 prêmios Emmy, 26 prêmios Annie e uma estrela na Calçada da Fama em Hollywood. E mais uma curiosidade: “D’oh!”, bordão de Homer, ficou tão conhecido que o dicionário de língua inglesa Oxford decidiu adicioná-lo como verbete oficial – evidenciando o grande impacto cultural do seriado na sociedade.