O Brasil é um dos países do mundo com maior núpero de celulares per capita, e o uso destes aparelhos cresceu mais de 107,2% nos últimos seis anos. Estes dados foram apresentados pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), e mostram que o acesso à internet foi ainda maior, com aumento de 143,8%.

Com base nestes dados, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) estuda uma nova utilidade para os orelhões do país: torná-los pontos de wi-fi gratuito.

A ideia surgiu após um estudo elaborado que demonstra que os 950 mil terminais existentes no país estão cada vez mais em desuso, mostrando que os usuários preferem efetuar ligações do celular. Os dados apontam que 49%  dos orelhóes fazem menos de duas ligações por dia, e a receita média mensal, que era de R$ 110, caiu para R$ 12,50.

A ANATEL apresentará o estudo técnico para ser discutido em consulta pública até março de 2014, determinando assim como será feita a modernização desses equipamentos para o acesso público coletivo.

Deverá haver uma redução do número de orelhões na cidade, sendo mantidos principalmente em áreas de maior uso, como nas zonas rurais, e os que restarem, será estudado a viabilidade desses orelhões terem outras funcionalidades, como wi-fi e facilidades nas formas de pagamento, como, por exemplo, com o uso cartão de crédito.

Em outros países, os tipos de serviços oferecidos nos atuais equipamentos incluem envio de SMS, acesso à internet com realização de videoconferência em telas sensíveis ao toque, pontos de wi-fi, impressoras térmicas, entrada para USB e leitor de cartão de memória.

Orelhões poderão transmitir sinal Wi-Fi 1