p

 

O livro infantil ilustrado O Pinguim Azul de Miguel, de Rosana Martinelli, aborda Sexismo, preconceito e estereótipos. Autora se inspirou em caso de superação de bullying do filho para escrever livro

 

O Pinguim Azul de Miguel apresenta de forma natural e sem conflitos a quebra de estereótipos de gênero e outros aspectos da diversidade humana. O personagem Miguel é inspirado no filho da autora que, como ele, tem lindos cabelos longos e por isso já foi muitas vezes confundido com uma garota. Os pequenos leitores vão descobrir, com o relato do dia a dia do personagem, que as pessoas podem ser naturalmente bem diferentes do que por vezes somos induzidos a pensar.

 

Para sublinhar com toda a propriedade as proposições de diversidade humana sugeridas pela autora, a Quatro Cantos delegou à artista plástica pernambucana Mariana Belém a incumbência de criar ilustrações de colorido vibrante que dialogam intimamente com o texto e que são especialmente valorizadas pelo formato grande do livro. A escolha pela tipologia em caixa-alta também é muito propícia para crianças em fase de alfabetização

 

Sexismo, preconceito e estereótipos são temas polêmicos, complexos e atuais da nossa realidade. No livro infantil O Pinguim Azul de Miguel, a escritora Rosana Martinelli, traz esses assuntos delicados para que crianças a partir de cinco anos possam entendê-los. A inspiração para escrever o livro surgiu depois que o filho da escritora sofreu bullying na escola por ter os cabelos compridos e ser sistematicamente confundido com menina.

 

O livro mostra que as crianças podem conviver facilmente com a diversidade e quebrar os estereótipos sociais. Miguel vive cercado de singularidades, mas encara tudo com naturalidade. “Se deixar que o diferente permeie o dia a dia você aceita como parte da vida, sem fazer exclusões e sem estimular o preconceito”, afirma a autora.

 

Cada virada de página é a quebra de um estereótipo. A história de um menino de seis anos que tem cabelos compridos, dança balé, tem um pai deficiente físico, porém atleta, uma mãe alta executiva, uma irmã obesa, que é modelo. E se todos passassem a encarar essa realidade de maneira natural, muitos dos conflitos que vemos diariamente nem existiriam.

 

Perguntas como: Meninos podem ter cabelos compridos? Modelos podem não ser tão magras? Meninos também dançam balé? Pessoas com limitações físicas podem ser atletas bem-sucedidos? Podem surgir e propiciar uma saudável, necessária e atual discussão sobre estereótipos.

 

Um livro inspirador para que as crianças tenham contato com todas as possibilidades sociais.

 

ROSANA MARTINELLI nasceu em Santo André́, São Paulo. Formou-se em Medicina pela Faculdade de Ciências Medicas de Santos e fez especialização em Cirurgia Geral pela Escola Paulista de Medicina. Mais tarde estudou Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com habilitação em Interpretação. Atuou em pecas teatrais, trabalhou como figurinista, cenógrafa, aderecista e diretora de arte. Exerce as funções de editora e diretora de arte na Quatro Cantos desde 2011. Escreveu “Seu Pesadelo foi Você̂ quem Inventou!”, livro infantil que aborda o mecanismo de sonhos na teoria freudiana (Quatro Cantos, 2014).

 

SOBRE A QUATRO CANTOS

A Editora Quatro Cantos é um passo natural de seu fundador, Renato Potenza Rodrigues, formado em Editoração pela Universidade de São Paulo, que trabalha há quase vinte anos com produção de livros e há doze dirige uma agência editorial que presta serviços a grandes editoras. A experiência com o mercado editorial foi fundamental para lançar um selo próprio. A linha editorial da Quatro Cantos pretende revelar talentos literários, além de focar em autores nacionais e internacionais de ficção, poesia e infanto-juvenil.