Mesa redonda - O Ator e o audiovisual 3

As linguagens audiovisuais estão em plena expansão. O ator, que nasceu com o teatro, abraçou o cinema, a TV e agora os novos meios de produção e difusão das narrativas ficcionais. Qual o futuro deste ofício? Denise Weinberg, Ligia Cortez e Mauro Baptista Vedia discutem o papel do ator na criação artística, sua função social, a necessidade de uma boa formação e as perspectivas de trabalho em um cenário em mutação. Mediação de Eliana Fonseca.

WORKSHOP: INTERPRETAÇÃO PARA CÂMERA
Centro Cultural Olido – Sala Azul: 14h-18h

O workshop ministrado por Eliana Fonseca discute as diferenças técnicas do trabalho do ator no teatro e no cinema, coloca o ator como elemento importante na construção da narrativa audiovisual e aborda a concepção do personagem sob o ponto de vista da decupagem e da mise-en-scène. Público: Atores, diretores e roteiristas interessados em
ampliar a percepção do trabalho do ator no cinema. Para 25 participantes a partir de 18 anos de idade.

CONHEÇA OS NOSSOS PALESTRANTES:

DENISE WEINBERG
Atriz de teatro, cinema e TV, diretora, professora e tradutora. Foi fundadora do Grupo TAPA. No teatro, recebeu os prêmios Molière, Mambembes, APCA e Prêmio Shell. Nos palcos, seu último trabalho foi IMORTAIS, de Newton Moreno. No cinema, atuou em Salve Geral, de Sergio Rezende, Linha de Passe, de Walter Salles, e nas comédias
De Pernas pro Ar 1 e 2, de Roberto Santucci. Na TV, fez as mini-séries A Teia, Dalva e Herivelto e Maysa na Globo,
as séries Alice e PSI na HBO e a série Questão de Família no GNT. Cotradutora do livro How to Stop Acting, de Harold Guskin, um dos maiores coachs de atores do cinema americano atual. Foi professora da Escola Livre de Teatro.
Ministra cursos e workshops independentes para grupos fechados.

 

ELIANA FONSECA
Formada em Cinema pela ECA/USP e em Atuação pela EAD/USP, há mais de 35 anos trabalha nas áreas de cinema, teatro e TV. Em cinema, dirigiu 5 curtas, entre eles Frankstein Punk e A Revolta dos Carnudos, premiados em diversos festivais, e 3 longas. No momento, finaliza 13 Andares, longa-metragem produzido em parceria com a ECA e a EAD. Como atriz, atuou em dezenas de filmes, tendo recebido vários prêmios. Em TV, trabalhou em programas infanto-juvenis, de humor, séries e novelas. Entre os destaques, Castelo Rá Tim Bum, na TV Cultura, Casseta & Planeta, as séries Os Normais, A Grande Família e Chapa Quente e a novela Desejo Proibido, todos na TV Globo. Dirigiu o seriado Máximo e Confúcio, exibido pela TV Cultura em 2017. Há 12 anos é professora de roteiro, direção e direção de atores no curso de Audiovisual do Centro Universitário Senac. Em 2015 e 2016 ministrou o curso de Interpretação para Câmera na EAD/USP. É idealizadora e coordenadora do projeto É NÓIS NA FITA.

 

LIGIA CORTEZ
Atriz, diretora e educadora dedicada à formação do ator. Como atriz de teatro, atuou sob a batuta de grandes diretores, como Antunes Filho, José Celso Martinez Correa, Ron Daniels e Bob Wilson – e conquistou os prêmios Mambembe e APCA. Na tela grande, foi dirigida por cineastas importantes, como Júlio Bressane, Ugo Giorgetti,
Beto Brant, Vera Egito e Tata Amaral. Na Globo, participou de novelas como Esperança, de Benedito Ruy Barbosa,
Páginas da Vida, de Manoel Carlos, e Sete Pecados, de Walcyr Carrasco. Como educadora, está à frente do Teatro-Escola Celia Helena, que oferece curso técnico profissionalizante, e da Escola Superior de Artes Célia Helena, com cursos de graduação e pós graduação em teatro.

MAURO BAPTISTA VEDIA
Doutor em Artes pela USP, é cineasta, diretor de teatro, roteirista, ator e professor universitário. Diretor do telefilme
A Performance (2012) e do elogiado longa-metragem Jardim Europa (2014). No teatro, dirigiu A Festa de Abigaiu,
do cineasta Mike Leigh, fenômeno de crítica e público, com mais de 60 mil espectadores; Ligações Perigosas, de Christopher Hampton, com Maria Fernanda Candido e Marat Descartes; e Flutuante, de Caco Galhardo, com Martha Nowill; entre outras. Prêmio de melhor ator coadjuvante no Festival de Gramado 2016, pelo longa El Mate, de Bruno Kott. Autor do livro O Cinema de Quentin Tarantino (Papirus), indicado ao Prêmio Jabuti em 2010.

 

EVENTO GRATUITO!

 

Vagas limitadas. Inscreva-se pelo site: www.enoisnafita.com.br

 

CENTRO CULTURAL OLIDO (GALERIA OLIDO) Av. São João,473 – 2ºandar. Metrô República.