Primeiro volume de uma trilogia regada à nostalgia, obra tem formato pocket e retrata Os Aventureiros do Bairro Proibido, Comando Para Matar, O Grande Dragão Branco, Karatê Kid: A Hora da Verdade, La Bamba, Mestres do Universo, O Poderoso Chefão, Rocky, Um Lutador, Soldado Universal e Superman: O Filme

Livro “Filmes que Marcaram a Cultura Pop – Volume 1” reúne artigos sobre clássicos e cults dos anos 1970 aos 1990 5

Pré-venda já acontece no Catarse.

 

Lembra de Os Aventureiros do Bairro Proibido,Comando Para Matar, O Grande Dragão Branco, Karatê Kid: A Hora da Verdade, La Bamba, Mestres do Universo, O Poderoso Chefão, Rocky, Um Lutador, Soldado Universal e Superman: O Filme? Todos arrebataram fãs, em maior ou menor quantidade. Filmes que Marcaram a Cultura Pop é coleção regada à nostalgia: relembra longas que impactaram de alguma forma nossa infância ou juventude.

Vê-los na telinha era verdadeiro evento. “Pela primeira vez na TV”, o lema das emissoras. Traz formato pocket, tão popular durante o século XX nos livros de bolso – baratos, fáceis de carregar, rápidos e gostosos de ler. E a paixão pelo colecionismo: a quem faz questão de ter o item físico, sentir seu cheiro, curtir seu design. As obras acima estão presentes nesta edição, em textos que misturam memórias, crônica, jornalismo e crítica cinematográfica.

O primeiro volume da trilogia que forma a coleção está em pré-venda no Catarse, e terá um lançamento presencial dia 20 de agosto, sexta-feira, 19h, no Cine Café do Cine Roxy 5, cinema de rua tradicional de Santos, litoral de São Paulo, que tem 87 anos de existência.

Com tamanho 10 centímetros de largura por 15 centímetros de altura, 246 páginas, capa papel cartão supremo com orelhas, e miolo com papel pólen 80 gramas, o livro também pode ser adquirido pelo contato por email ([email protected]) ou pela página www.facebook.com/editoracinezen. O valor é de R$ 26 (mais envio pelo correio). A capa do livro é assinada pela designer gráfico e professora Audrey Duarte.

No Catarse (https://www.catarse.me/livro_filmes_que_marcaram_a_cultura_pop_volume_1_3d5e?ref=project_link), o exemplar pode ser adquirido por R$ 34 (já com envio do correio via registro módico incluso) com entrega para 90 dias após o início da pré-venda (que começou dia 13 de agosto).

“Fizemos inicialmente uma pequena tiragem, cujos exemplares podem ser adquiridos por email, página ou no lançamento presencial. A campanha é justamente para alcançarmos um público maior”, explica o autor André Azenha.

Para os dois próximos volumes estão programados artigos sobre filmes como:

 

            Curtindo a Vida Adoidado (1986), Ruas de Fogo(1984), Um Tira da Pesada (1984), O Vingador do Futuro (1990), Highlander: O Guerreiro Imortal (1986), Batman, O Filme (1989), Guerra nas Estrelas (1977), Supergirl (1984), Super Xuxa Contra o Baixo Astral (1988), Transformers, O Filme (1986), 2001: Uma Odisseia no Espaço (1968), Hair (1979), Todos os Homens do Presidente (1976), Taxi Driver: Motorista de Táxi (1976), Bonnie & Clyde: Uma Rajada de Balas(1967), Rambo: Programado Para Matar (1982), Máquina Mortífera (1987), O Último Dragão (1985), Os Garotos Perdidos (1987), Superman e os Homens Toupeira (1951), Batman, o Homem-Morcego (1966), A Guerra dos Mundos (1953), Planeta dos Macacos(1968), Branca de Neve e os Sete Anões (1937), O Mágico de Oz (1939), Gremlins (1984), Os Goonies (1985), Warriors: Os Selvagens da Noite (1979), Escola de Rock (2003), X-Men, o Filme (2000), O Justiceiro(1989), Instinto Selvagem (1992), Homem-Aranha(2002), Capitão América: O Filme (1990), Loucademia de Polícia (1984), De Volta Para o Futuro (1985), Perseguidor Implacável (1971) e muito mais!

 

Filmes que Marcaram a Cultura Pop – Volume 1
De André Azenha.
Formato: 10cm de largura por 15 cm de altura.
246 páginas.
Capa com orelha: papel cartão supremo 250 gramas.
Miolo: Papel pólen 80 gramas.
ISBN: 978-65-00-21302-7

 

Link da pré-venda: https://www.catarse.me/livro_filmes_que_marcaram_a_cultura_pop_volume_1_3d5e?ref=project_link

Livro “Filmes que Marcaram a Cultura Pop – Volume 1” reúne artigos sobre clássicos e cults dos anos 1970 aos 1990 6

Breve currículo do autor:

 

André Azenha é doutorando em Comunicação Audiovisual pela Universidade Anhembi Morumbi. Produtor cultural, crítico de cinema, curador, escritor, assessor de imprensa. Diretor do Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos, editor do historiasdocinema.com. Autor de livros: Batman: A Série Animada – Uma Revolução dos Heróis na TV (2020), A Era dos Boçais (2021, poesias), Histórias: Batman e Superman no Cinema (2016), Adelia Sampaio: O Segredo da RosaRubens Ewald Filhho: Vida de Cinema! (ambos de 2021), entre outros. Coordena a CineZen Edições Literárias. Organizou exposições sobre cinema e cultura geek.

 

Inspiração para o projeto (um breve trecho da introdução, por André Azenha)

 

            “A tevê, aqui, tem papel fundamental na concepção das escolhas. Na década de 1980 ver filmes na telinha tornava-se verdadeiro evento. Não tínhamos dinheiro para comprar videocassete. Aguardávamos ansiosos pelas superproduções exibidas pela “primeira vez na televisão”, tais quais divulgavam intensamente as emissoras. Tela Quente, Corujão, Sessão da Tarde, Sessão Aventura, Temperatura Máxima (todas da Globo), Cinema em Casa (SBT) e Cine Belas Artes (Band) foram fundamentais na formação cinéfila de milhares de pessoas. Como a velocidade de informação era diferente, filmes chegavam dois, três, quatro e até cinco anos depois de seus lançamentos originais no cinema. Alguns sequer foram exibidos na telona e nem eram obras importantes – a exemplos das produções da Cannon Films (assista ao documentário Electric Boogaloo: The Wild, Untold Story of Cannon Films). Pouco importava. Vibrávamos desde a estreia do vencedor do Oscar e clássico Rocky, Um Lutador (1976) até seu genérico Falcão, o Campeão dos Campeões (1987), os dois estrelados por Sylvester Stallone. Ficávamos sem entender direito por que Superman 1, 2 e 4 passavam na Globo e somente Superman 3 no SBT, ou Rambo 2 na primeira e o original na segunda. O recreio na escola servia para reprisarmos personagens e cenas de Karatê Kid (1984), O Grande Dragão Branco (1988) e outros.

            Por isso, em Filmes que Marcaram a Cultura Pop tentaremos fugir da obviedade, escreveremos sobre filmes necessariamente não tão populares, mas que habitam as lembranças de muita gente. E também sobre sucessos. Poderíamos disponibilizar esses textos online, em e-books, mas o intuito é justamente ir na contramão: amamos o material impresso, o cheiro, gostamos de colocar livros, DVDs, vinis na estante, organizá-los (ou não). Para cada um deles há uma história, um momento, uma lembrança. Esta coleção é para quem é fã, nerd, geek, tem interesse em cultura pop, cinema, história da sétima arte, curiosidades, bastidores, e trajetória dos envolvidos. Tentarei, em cada livro da seleção, entregar textos que misturem jornalismo, crítica de cinema, crônica, opinião, gostos pessoais, nostalgia e travar esse diálogo com você. As fichas técnicas completas você encontra no IMDB – não são o foco aqui. Fica o agradecimento à minha esposa, Paula Azenha, por sempre incentivar e apoiar minhas ‘loucuras’ e pela parceria no processo. Veja, reveja os filmes. Começamos com dez deles. Boa leitura!”

 

SOBRE A CINEZEN EDIÇÕES LITERÁRIAS:

 

O selo editorial foi criado por André Azenha em 2021 e é coordenado por ele e Paula Azenha, com o objetivo de promover a leitura voltada ao cinema e às artes. O projeto consiste em livros de pequena tiragem e, além da Coleção Santos Film Fest (que reúne autobiografias de artistas do cinema nacional e coletâneas de artigos sobre cinema) também publicará obras de André Azenha, Paula e outros autores. Ainda em 2021 deve ser lançado Tarzan: o Macaco Branco, livro feito a partir da dissertação de mestrado do Professor Celso Ronald e que chegará ao público em novembro, na Semana da Consciência Negra, Cultural: Mentes Santistas – Entrevistas biográficas, coletânea de 200 páginas com relatos biográficos de cerca de 30 artistas de Santos e região. E, para 2022, está previsto Elvis no Cinema, do crítico carioca Paulo Telles.

 

OUTROS LIVROS DA EDITORA DISPONÍVEIS PARA VENDA VIA INTERNET:

 

GRANDES INTERPRETAÇÕES DO CINEMA BRASILEIRO

Profundo conhecedor do cinema brasileiro, com destaque para a estrela Sonia Braga, o crítico de cinema Waldemar Lopes, em Grandes Interpretações do Cinema Brasileiro, envolve o leitor em textos gostosos de ler, informativos e profundos. Traça importante panorama de atuações épicas da própria Sonia, Darlene Glória, Fernanda Montenegro, Fernanda Torres, Rodrigo Santoro, Wagner Moura, Sérgio Mamberti, Bete Mendes, Nuno Leal Maia, entre outros. O livro integra a Coleção Santos Film Fest.

Waldemar Lopes faz, desde 1995, em Santos, a Palestra Beneficente do Oscar. Cedeu acervos às exposições sobre Julie Andrews e Sonia Braga no SFF. Escreve artigos para historiasdocinema.com. Como artista plástico, integrou: Pré-Bienal de Santos, Semana de Arte Brasileira (Portugal), Salão Jovem do CCBEU, Vasp Art Gallery (Los Angeles), Galerias de Friele (Noruega), Associação dos Médicos, Teatro Guarany, Beneficência Portuguesa, Unisanta, Santos Arquidecor. Realizou as mostras Made in Santos, Viva Santos! e Primavera em Santos, no CulturalMente Santista, além de A Magia do Cinema, no festival.

Grandes Interpretações do Cinema Brasileiro
De Waldemar Lopes
Formato: 10cm de largura por 15cm de altura.
238 páginas
Capa com orelha: papel cartão supremo 250 gramas.
Miolo: Papel pólen 80 gramas.
Preço: R$ 26

ONDINA CLAIS: A DAMA DO MAR – 35 ANOS DE TRAVESSIA

Autobiografia da atriz Ondina Clais. Aos 16 anos estreou profissionalmente como bailarina, na ópera O Guarani, de Carlos Gomes, regida pelo maestro Benito Juarez. Logo no ano seguinte passou a estampar a capa de diversas revistas nacionais e estrangeiras. Aos 20 anos começou a carreira de atriz, juntando-se ao Grupo Macunaíma, do diretor teatral Antunes Filho, no qual encenou diversas montagens como Nova Velha HistóriaParaíso Zona NorteTrono de Sangue (indicação melhor atriz coadjuvante prêmio Apetesp – 1993)Drácula e Outros Vampiros e Toda Nudez Será Castigada, de Nelson Rodrigues, quando interpretou a protagonista Geni. Em 2013, estrelou a peça A Dama do Mar na primeira montagem do renomado diretor norte-americano Bob Wilson, no Brasil, com atores brasileiros. No currículo, além dos 35 anos de palco, Ondina participou da terceira temporada da série Sessão de Terapia, no canal GNT, da primeira de O Hipnotizador, na HBO, A Vida Secreta dos Casais, dirigida por Kim Riccelli e Carlos Alberto Riccelli e escrita por Bruna Lombardi, também no HBO, e Coisa Mais Linda, no Netflix. No cinema, integrou os elencos de Meu Amigo Hindu, de Hector Babenco, com o ator norte-americano Willem Dafoe, O Filme da Minha Vida, do diretor Selton Mello, atuando ao lado do francês Vincent Cassel, João, o Maestro, cinebiografia do maestro João Carlos Martins, e Vou Nadar Até Você, do diretor e amigo fotógrafo Klaus Mitteldorf. Destaque nos palcos, nas telinhas e telonas, foi homenageada no 2º Santos Film Fest, virou a madrinha do festival e passou a batizar o troféu entregue anualmente a importantes mulheres do cinema nacional. Aqui, relembra vida e carreira.  O livro integra a Coleção Santos Film Fest.

 

Ondina Clais; A Dama do Mar – 35 Anos de Travessia
Formato: 10cm de largura por 15cm de altura.
136 páginas
Capa com orelha: papel cartão supremo 250 gramas.
Miolo: Papel pólen 80 gramas.
Preço: R$ 20

 

GRANDES CURTAS: CURTAS-METRAGENS DE GRANDES CINEASTAS

Grandes Curtas: Curtas-Metragens de Grandes Cineastas é uma coletânea de artigos sobre filmes importantes, mas nem sempre lembrados. A ideia aqui foi listar produções que tragam, em seu DNA, certo pioneirismo, como os primeiros trabalhos de John Lasseter, na Pixar, ou os curtas animados do Superman, dos irmãos Fleischer, alguns dos primeiros trabalhos de grandes cineastas brasileiros e estrangeiros. É um guia para curiosos, cinéfilos, estudantes, e quem mais se interessar pelos filmes de curta duração. O livro integra a Coleção Santos Film Fest.

 

Grandes Curtas: Curtas-Metragens de Grandes Cineastas

Formato: 10cm de largura por 15cm de altura.
126 páginas
Capa com orelha: papel cartão supremo 250 gramas.
Miolo: Papel pólen 80 gramas.
Preço: R$ 20