Obras de arte do acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo foram reproduzidas e adaptadas para incluir o público com deficiências sensoriais, motoras e intelectuais. As obras de arte, que ficam no Sesc Santo André até 1º de março, permitem que os visitantes usem outros sentidos, além do visual, por meio de recursos como reproduções em relevo, maquetes tridimensionais, sons, aromas, textos em braile e audiodescrições.

São 14 reproduções fotográficas das obras originais. Junto de cada uma, o visitante pode tocar em uma maquete que reproduz a cena retratada e ter contato com o relevo de uma placa, além de conhecer outros detalhes sobre a peça no texto em braile. Um áudio também ajuda na percepção de cada obra. Os recursos multissensoriais fazem com que o público tenha diversas interações com a mostra, que busca ampliar a apreciação da arte por meio da estimulação dos sentidos.

A seleção inclui obras brasileiras do final do século 19 e meados do 20, com temas das artes plásticas como natureza morta, retrato, abstração e paisagens rurais e urbanas. Almeida Junior, Carlos Scliar e Di Cavalcanti estão entre os pintores escolhidos para essa mostra.

A curadora Amanda Tojal destaca que os objetivos propostos pela exposição reforçam a ideia presente na nova museologia ao demonstrar que esses espaços podem e devem ampliar sua forma de comunicação com o público, independentemente das diferenças. Segundo Amanda, isso faz com que esses espaços tornem-se instrumentos de inclusão social.

A exposição conta com com 12 esculturas táteis, em bronze, que fazem parte do acervo do museu. A seleção das obras foi realizada considerando a indicação do público com deficiências visuais que participou de visitas orientadas ao acervo do museu nos últimos cinco anos. Além disso, dimensão, forma, textura e diversidade estética, que facilitam a compreensão e apreciação artística dessas obras ao serem tocadas, foram outros critérios adotados para a escolha das esculturas.

Com esta iniciativa, o público com deficiências visuais poderá explorar e reconhecer, por meio do toque, todas as obras da Galeria Tátil, apresentadas segundo um criterioso padrão de acessibilidade e complementadas por outros recursos de apoio, como folder e catálogo em dupla leitura (tinta e Braille), além de áudio-guia elaborado especialmente para o público alvo participante desta exposição. Entre os artistas selecionados para a mostra estão Rodolfo Bernardelli, Victor Brecheret, Bruno Giorgi, Amilcar de Castro, entre outros. A disponibilidade destes materiais pode ser consultada na recepção do museu.

O percurso de visitação é orientado por um piso tátil, que permite e indica um caminho para a exploração das obras que se encontram nesta galeria. Esta é mais uma ação do Programa Educativo para Públicos Especiais (PEPE), voltado para garantir a possibilidade de fruição da arte para pessoas com necessidades especiais – sensoriais, físicas ou mentais.

Esta ação do Programa Educativo para Públicos Especiais (PEPE) está inserida dentro do Museu para Todos, um projeto pioneiro realizado pelo Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca do Estado em parceria com o Grupo Santander Brasil, que reúne os bancos Santander e Real, com o objetivo de formar uma sociedade mais inclusiva e garantir o direito ao acesso às artes e ao patrimônio do Estado.

O PEPE oferece ainda visitas educativas ao acervo da Pinacoteca, previamente agendadas, complementadas por recursos de apoio multissensoriais e publicações adaptadas.

maxresdefault (1)
Programa Educativo para Públicos Especiais
Agendamento de visitas orientadas
De segunda a sexta das 10h00 às 17h00
Fones: (011) 3324-0945
Fax: (011) 3324-0946
[email protected]