Agendada para o período de 24 a 30 de julho, a nona edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo coloca em foco os destaques da produção mais recente feita na região, incluindo vários títulos inéditos no Brasil, além de promover homenagens e organizar encontros e debates. No total, são 114 filmes, representando 16 países da América Latina e do Caribe. A programação é inteiramente gratuita e acontece em nove salas: Memorial da América Latina (em uma tenda especialmente instalada na Praça Cívica, com capacidade para 500 pessoas), Cinesesc, Cine Olido, Centro Cultural São Paulo (salas Paulo Emílio e Lima Barreto), Cinemateca Brasileira, Cineclube Latino-Americano, Centro Cultural da Juventude e Centro Cultural da Penha.

Nesta edição, O Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo promove uma inédita mostra que reúne documentários musicais dedicados a importantes artistas da Argentina, Brasil, Chile, Cuba e Venezuela que se tornaram responsáveis por boa parte do imaginário musical da região.

 Denominada Docs Musicais América Latina, a mostra destaca dois títulos inéditos no Brasil – El Objeto Antes Llamado Disco: O Filme” e “La Casa del Ritmo: Um Filme Sobre Los Amigos Invisibles”. Dirigido por Gregory Allen, “El Objeto Antes Llamado Disco: O Filme” (2013) retrata o conjunto mexicano de rock Café Tacvba durante o proceso de criação do disco homônimo. O grupo é conhecido por suas parcerias com os músicos David Byrne e Beck, e pelas trilhas sonoras de “Amores Brutos”, de Alejandro González Iñárritu, e de “E Sua Mãe Também”, de Alfonso Cuarón.  Outro grupo bastante popular da música latino-americano, os venezuelanos Los Amigos Invisibles, ganham em “La Casa del Ritmo: Um Filme Sobre Los Amigos Invisibles” (2012), de Javier Andrade. Trata-se de uma celebração da carreira da banda, que também já foi apadrinhada por David Byrne.

Um dos cantores cubanos contemporâneos de maior relevo internacional, Silvio Rodríguez, é criador juntamente com Pablo Milanez e outros, do movimento da Nova Trova Cubana. Considerado um poeta lúcido e inteligente, capaz de sintetizar o intimismo e os temas universais com a mobilização e a consciência social, o artista ganha esmerado retrato na coprodução entre Cuba e Espanha inédita no Brasil “Silvio Rodríguez, Ojalá” (2013), dirigida por Nico Garcia.

Familiares, amigos e colegas recordam Violeta Parra, a mais universal das cantoras folclóricas chilenas, em “Viola Chilensis” (2003), de Luis R. Vera. Merecedora de uma cinebiografia ficcional (“Violeta Foi Para o Céu”, de Andrés Wood), Violeta Parra é considerada fundadora da música popular chilena.

Mercedes Sosa, A Voz da América Latina” (2013), de Rodrigo H. Vila, um documentário sobre a cantora argentina, artista de extrema importância na história política e cultural da América Latina. A inconfundível voz de Mercedes, “La Negra”, guia o público por sua trajetória e depoimentos de personalidades ressaltam sua relevância em toda América do Sul.

Já a representação brasileira é composta por oito títulos, produzidos 2000 e 2013. Um dos destaques é “Cartola – Música para os Olhos” (2006, de Lírio Ferreira e Hilton Lacerda), sobre o mestre Cartola, um dos compositores mais importantes da música brasileira e também um dos expoentes mais nobres do samba. Em “O Gingado da Nêga” (2014), de Rafael de Paula Rodrigues, Elza Soares fala sobre sua história, carreira, casamento, ídolos. Entre os entrevistados, além de amigos, famosos admiradores da cantora, como Pedro Bial, Lobão e Jorge Aragão, entre outros.

Em “Tom Zé ou Quem Irá Colocar Uma Dinamite na Cabeça do Século?” (2000), a cineasta Carla Gallo flagra o processo criativo do inventivo músico baiano. Já em “Daquele Instante em Diante“ (2011), o diretor Rogério Velloso mergulha na obra e na vida pessoal do genial artista Itamar Assumpção para mostrar suas várias facetas: compositor, poeta, performer, amante das plantas, homem caseiro, gênio incompreendido, controlador irredutível de tudo o que envolvia sua criação e parceiro de tantos outros talentosos contemporâneos.

 “Botinada: A Origem do Punk no Brasil” (2006), de Gastão Moreira, é um documentário que narra a história do início do movimento punk no Brasil, e o paradeiro de seus protagonistas, contando com imagens raras de apresentações das bandas Inocentes e Cólera.  Já “Rock Brasília – Era de Ouro” (2011) utiliza imagens filmadas desde o final dos anos 1980por seu diretor, o veterano Vladimir Carvalho, para abordar a trajetória de bandas de Brasília, como Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude.

O cineasta Caco Souza e o crítico Ricardo Alexandre debruçaram-se sobre a chamada “fase psicodélica” (1967-1970) do cantor Ronnie Von, um objeto de culto em todo o mundo e uma espécie de “elo perdido” entre a Jovem Guarda e o tropicalismo brasileiro, e o resultado está no documentário “Ronnie Von – Quando Éramos Príncipes”, de 2013. No filme, o próprio cantor e outras testemunhas (Arnaldo Saccomani, Rita Lee, Manoel Barenbein) relembram o período, enquanto Ronnie, acompanhado pela banda Os Haxixins, passeia pelo repertório ao vivo em estúdio, em sua primeira gravação em quase 20 anos. E documentarista Eduardo Coutinho, falecido em fevereiro último, tem na programação o emocionante “As Canções” (2011), no qual homens e mulheres cantam e contam as músicas que marcaram suas vidas, de autoria de Roberto Carlos, Chico Buarque e Jorge Benjor, entre outros. Em 2008, com “Jogo de cena”, Coutinho venceu o prêmio do público no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo.

A curadoria do 9º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo é assinada por João Batista de Andrade, Felipe Macedo, Jurandir Müller e Francisco Cesar Filho. Uma realização da Associação do Audiovisual, o evento conta com patrocínio da Petrobras e da Sabesp – Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura), copatrocínio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e correalização do Sesc São Paulo.

Documentários Musicais no Festival de Cinema Latino-Americano de SP

Serviço:

9º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo

24 a 30 de julho de 2014

Entrada franca

locais:

Memorial da América Latina / Praça Cívica – Av. Auro S. de Moura Andrade 664 / Portões 2 e 5, Barra Funda –

Cineclube Latino-Americano – Av. Auro S. de Moura Andrade 664 / Portão 8, Barra Funda

Cinesesc – Rua Augusta 2075, Cerqueira César

Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso 207, Vila Clementino

Centro Cultural São Paulo / Sala Paulo Emílio e Sala Lima Barreto – Rua Vergueiro 1000, Paraíso

Cine Olido – Av. São João 473, Centro

Centro Cultural da Juventude – Av. Deputado Emílio Carlos 3641, Vila Nova Cachoeirinha

Centro Cultural da Penha – Largo do Rosário 20, Penha

realização: Associação do Audiovisual

patrocínio: Petrobras e Sabesp – Companhia de Saneamento Básico de São Paulo, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura

copatrocínio: Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo

correalização: Sesc São Paulo

A relação completa dos títulos é a seguinte:

“A Lavadora” – Erico Bitencourt (PUC-Rio / Brasil, 2014)

“A Morte” – Gabriel Serra (CCC / México, 2013)

“Anos de Luz” – Aldemar Matias (EICTV / Cuba, 2013)

“A Última Rosa” – Ana Cecília Araki (Unicamp / Brasil, 2013)

“Bê-a-bá” – Diana Monteiro (EICTV / Cuba, 2013)

“Bumba Bumba com Minha Própria Macumba” – Mirrah Iañez (UAM / Brasil, 2014)

“Café Gelado e Cigarros Baratos” – Gustavo Chu (CEUNSP / Brasil, 2013)

“Catalogárgula” – Lucas Neris, Luan Salce e Gabriel Paixão (UFPel / Brasil, 2013)

“Com uma Câmera na Mão e uma Máscara de Gás na Cara” – Ravi Aymara (PUC-Rio / Brasil, 2013)

“Corredor” – Juan Aguilar e Santiago Andrade (Incine / Equador, 2013)

“Entre Latinhas” – Carla Leoni e Richard Dantas (FAAP / Brasil, 2013)

“Forasteiro” – Lucía Ferreyra (Ucine / Argentina, 2013)

“Homem sem Sonho” – Cainã Tavares (UFSCar / Brasil, 2013)

“Hotel La Loma” – Efrén Del Rosal (Universidade Iberoamericana / México, 2013)

“Isabel” – Ana Paula Fiorotto (ECA-USP / Brasil, 2014)

“Jerusalém” – Alicia Segovia (CUEC / México, 2013)

“Limbo” – José Añazco (Incine / Equador, 2013)

“Matar Um Cachorro” – Alejo Santos (Ucine / Argentina, 2013)

“Mister” – Ana Carolina C. Rocha e Jéssica Rojas (UFMG / Brasil, 2013)

“No Fim do Deserto” – Sheila Altamirano (CUEC / México, 2013)

“O Burburinho da Terra” – Alejandro Daza Barón (ECYTV / Colômbia, 2013)

“O Caminhante” – Paula Machiavello (ECU / Uruguai, 2013)

“O Cara” – Glauco Broering (Unisul / Brasil, 2013)

“O Caso da Mulher que Aparece Morta Muitas Vezes” – Nicolás Botana (ECU / Uruguai, 2014)

“O Escapatório” – Mathias Kuykendall (Incine / Equador, 2013)

“Ofélia e Eu” – Sofía Vanni (Universidade Iberoamericana / México, 2013)

“O Membro Decaído” – Lucas Sá (UFPel / Brasil, 2013)

“O Papel” – Fermin Pedros (Ucine / Argentina, 2013)

“O Pracinha de Odessa” – Luis Felipe Labaki (ECA-USP / Brasil, 2013)

“O Que Dizem da Selva” – Octávio Tavares e Francisca Oyaneder (UBA / Argentina, 2014)

“O Último Véu” – Luis Palomino (CCC / México, 2013)

“Pablo” – Caio Gox e Vinícius Soares (ECA-USP / Brasil, 2013)

“Perdoai as Nossas Ofensas” – Israel Ahumada (CCC / México, 2013)

“Por Um Punhado de Bolinhas de Gude” – Estíbaliz Márquez (CUEC / México, 2013)

“Povo” – Mariano Tobar (ENERC / Argentina, 2014)

“Ring” – Joaquin Papich (ECU / Uruguai)

“Seja!” – María Amanda Celi (ENERC / Argentina, 2014)

“Tejo Mar” – Bernard Lessa (UFF / Brasil, 2013)

“Tormenta de Verão” – José Manuel Segura (ENERC / Argentina, 2014)

“Um Paraíso” – Jayisha Patel (EICTV / Cuba, 2013)

“Unidunite” – Lilian Barcelos (UnB / Brasil, 2014)

“Uso Inteligente da Cidade” – Bender Arruda (PUC-Rio / Brasil, 2013)

“Véspera de Natal” – Montserrat Gómez (Universidade Iberoamericana / México, 2014)

 

 

 

atividades paralelas

 

 

*** seminário Nuevas Ventanas

 

O seminário Nuevas Ventanas aborda o crescimento das janelas de exibição proporcionadas pela internet e o potencial que esse novo universo traz para a expansão do alcance do cinema latinoamericano. Com o propósito de discutir as novas possibilidades de circulação dos filmes na era digital e conectada, o seminário reúne plataformas públicas de distribuição; plataformas de VOD e os novos caminhos na distribuição digital; smart TVs e os cenários para a distribuição de conteúdo nas TVs conectadas; plataformas de vídeo online e os novos meios de produção e distribuição de conteúdo; e janelas independentes de distribuição on demand.

 

A programação do seminário é a seguinte:

28/07 (segunda-feira) – Auditório da Biblioteca Latino-Americana / Memorial da América Latina

10h30 – “Plataformas públicas de distribuição do audiovisual Latino Americano”

com Jorge Sánchez (México), diretor geral do Instituto de Cinema Mexicano de Cinematografia – IMCINE; Orlando Senna (Brasil), presidente da TAL – Televisão América Latina; e um representante do Banco Audiovisual de Contenidos Audiovisuales Argentino – BACUA

 

29/07 (terça-feira) – Centro Cultural São Paulo / Sala Lima Barreto

10h00 – “Plataformas de vídeo online e novos meios de produção e distribuição de conteúdo”

com Felipe Braga e Rita Moraes (Brasil), da produtora Los Bragas; e Fernando Schultz e Paulo Schultz (Brasil), diretores e produtores do documentário “Eu Maior”

11h30 – “O universo das Smart TVs. Cenários e possibilidades para a distribuição de conteúdo nas TVs conectadas”

com Leonardo Castro (Brasil), Network Business Development da Sony Brasil; Marcelo Natali (Brasil),  Head of Apps and Ecosystem na Samsung América Latina; e Juliana Psaros (Brasil), Gerente de Conteúdos e Novos Negócios da Opera TV Store

 

29/07 (terça-feira) – Centro Cultural São Paulo / Sala Lima Barreto

10h00 – “Plataformas de VOD da América Latina – Novos caminhos na distribuição digital Latino Americana”

com Gustavo Capistrano Haramura (Brasil), Diretor Executivo da NetMovies; Navi Campos (Argentina) e Gerente de Marketing da Qubit.tv

 

11h30 – “Janelas Independentes de distribuição on demand – Novas possibilidades para a distribuição e exibição”

com Rita Falcón (Argentina), fundadora do site Cinemargentino.com; Giuliano Cavalli (Colômbia), diretor geral do site Online Colombia TV; e Andrés Valdívia (Argentina), diretor executivo do site Cinepata

  Cinema da Vela – Novas Propostas de Linguagem do Cinema Latino-Americano

 Parte do projeto Cinema da Vela, promovido regularmente pelo Cinsesc, o debate Novas Propostas de Linguagem do Cinema Latino-Americano acontece no dia 28/07, segunda-feira, reunindo a diretora cubana, e professora da Escuela Internacional de Cine y TV , de San Antonia de los Baños, Irene Gutierrez (de “Hotel Nueva Islã”) e o cineasta brasileiro Cristiano Burlan (de “Hamlet”). Previsto para às 19h30, no próprio Cinesesc, o encontro conta com mediação do crítico Francis Vogner dos Reis.

 Encontro com Pablo Trapero e Martina Gusmán

 Homenageados nesta edição do 9º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, os argentinos premiados internacionamente Pablo Trapero, cineasta e produtor, e Martina Gusmán, atriz e produtora, conversam com o público em encontro agendado para o dia 29/07, terça-feira, às 11h00, no Cinesesc.

Na mesma data, ambos recebem o troféu Fundação Memorial da América Latina, confeccionado a partir de arte de Oscar Niemeyer, às 21h00, no Memorial da América Latina.

 Encontro com Silvio Tendler

 Documentarista homenageado pelo festival, o cineasta Silvio Tendler conversa com o público no dia 28/07, segunda-feira. O encontro acontece na abertura da sessão do longa-metragem “Jango” (1984), às 21h00, no Memorial da América Latina.

Na cerimônia de encerramento do festival, no dia 30/07, quarta-feira, às 20h30, também no Memorial da América Latina, Tendler  recebe o troféu Fundação Memorial da América Latina, confeccionado a partir de arte de Oscar Niemeyer.

  Mesa Coprodução Internacional

 Aspectos ligados aos mecanismos de coprodução internacional na atualidade, com foco especial na América Latina, estão em um debate que reúne a produtora argentina Lita Stantic, a distribuidora mexicana Cristina Garza, o colombiano Andres Bayona, da agência de promoção Proimágenes Colômbia, e os brasileiros André Sturm, do programa Cinema do Brasil, e Leticia Godinho, da Agência Nacional de Cinema (Ancine).

Agendado para o dia 30/07, quarta-feira, às 10h30, no Auditório da Biblioteca Latino-Americana do Memorial da América Latina, o encontro tem mediação de José Roberto Rocha Filho, da Divisão de Promoção do Audiovisual do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

  Reunião do Grupo de Apoio à Escuela Internacional de Cine y TV (Cuba)

 O Festival sedia uma reunião para criação do Grupo de Apoio à Escuela Internacional de Cine y TV, de San Antonia de los Baños (Cuba). Agendada para o domingo, 27/07, às 15h30, no Auditório da Biblioteca Latino-Americana do Memorial da América Latina, o encontro reúne os integrantes do Conselho Diretor da Fundación del Nuevo Cine Latinoamericano Alquimia Peña, David Blaustein, Orlando Senna, Maniel Pérez Paredes e Jorge Sánchez; o diretor docente da EICTV Jeronimo Labrada; a vice-presidente do Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC); o presidente da TAL – Televisão América Latina Orlando Senna; o diretor executivo do festival Cine Ceará Wolney Oliveira e professores e ex-alunos da Escuela Internacional de Cine y TV. A reunião é promovido pelo no Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo e pelo Ministério da Cultura, e conta com participação do Secretário do Audiovisual Mario Borgneth.

 

 

*** lançamento do livro “A Música no Cinema Silencioso no Brasil”

 

Atividade complementar ao ciclo Cinema Mudo Latino-Americano, o lançamento do livro “A Música no Cinema Silencioso no Brasil”, que acontece no dia 27/07, domingo, às 18h00, no Cineclube Latino-Americano.

 

A obra é de autoria do pesquisador e programador de cinema da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro Carlos Eduardo Pereira, doutor em comunicação social pela UFF, com a tese “Carnavalização e antropofagia no metacinema de Carlos Reichenbach”.

 Oficinas

 A oficina “Música para Cinema Mudo” é ministrada pelo músico mexicano José MarÍa Serralde de 24 a 26 de julho, no Cineclube Latino-Americano. Nela, os participantes conhecem os fundamentos teóricos e práticos para sonorização de filmes mudos, além de obter um breve apanhado histórico desta arte plural que surgiu junto com o cinema. No dia 26/07, sábado, é exibida a sessão Da Ditadura de Huerta à Rendição de Pancho Villa, com cenas com Emiliano Zapata e Pancho Villa, acompanhada por palestra do pesquisador mexicano Aurélio de los Reyes e acompanhamento musical de Serralde. A oficina faz parte da mostra Cinema Mudo Latino-Americano.

 Já a oficina “Criar um Cineclube: Divertir, Educar, Emancipar”, ministrada pelo cineclubista Frank Ferreira, aborda os temas “O público, base de organização de cineclube”; “Organização e registro de cineclube”; e “Programação, debate e divulgação”. Projeções e debates em torno de filmes clássicos de cinematografia da região complementam as atividades.