Hoje coneça no CineFreak a nova colunista Lorena Soeiro.

Lorena Ferreira Soeiro é nerd, professora e tradutora de língua inglesa, cosplayer, roqueira, leitora de ficção, apaixonada por séries e documentários, cinéfila. colecionadora e louca por Tim Burton.


 

No verão de 1983 , ao norte da Itália, o precoce Elio Perlman (Timothée Chalamet), americano de acedência italiana e judeu conhece outro jovem homem, também judeu, Oliver (Armie Hammer). Oliver é um charmoso americano – que está trabalhando em seu doutorado- e chega para passar um estágio de verão ajudando na pesquisa do pai de Elio.

Crítica do filme “Call Me By Your Name” 9
Os dois passam o verão juntos , cada vez mais e mais próximos, descobrindo coisas sobre si mesmos que eles nunca souberam antes… O verão que vai alterar suas vidas para Sempre!!!
Este filme está indicado há várias premiações, estava louca para assistir (só agora estreou em minha cidade) e agora compreendo o porquê de tantas indicações. Este filme é belo. E surpreendemente Real. Tão sensual e comovente que agradará até os que não gostam da temática gls. Independente de sua orientação sexual, você se apaixonará por este filme.

Crítica do filme “Call Me By Your Name” 10
Este lindo filme não segue aos roteiros normais. Não há um episódio específico que mudará a vida dos personagens, as motivações deles não são claras como roteiristas geralmente o fvazem….Este filme descarta as regras básicas de cinema e, mesmo assim, consegue entregar um dos melhores roteiros que já vi.

Porque a história é sobre dois jovens que vagam aleatoriamente, simplesmente vivendo suas vidas – mas quando estes se envolvem – o filme se torna verdadeiramente lindo.

Crítica do filme “Call Me By Your Name” 11
O cenário é incrível, a escolha dos locais é tão boa que você se sente estando lá, no norte da Itália.

Os atores principais tem uma química incrível. Tornaram crível a história e que história insanamente romântica é esta. Os dois juntos na tela transbordam uma sintonia mágica!!!
Um dos meus problemas com filmes de temática gls é que nem sempre a relação é construída para nos conectarmos aos personagens. Aqui há cenas, até demais, banais. Como alguém apenas escrevendo- mas são justamente cena simples que vão dar o tom do romance que se anuncia lentamente e progressivamente até que você está quase implorando para que estes fiquem juntos.
Algo que me assustou foi o realismo das cenas, não parece um filme bem ensaiado, parece um documentário em que somos expectadores na primeira fila dos diálogos tão naturais entre Elio e Oliver. Esse sentido de realismo e conversão natural entre atores e cenário é algo que não via há muito tempo no cinema…
este filme é tão diferente e único que não consegui ver falhas no roteiro. È tão bom sair do cinema emocionada e sem queixas.
A razão do nome do filme vai te tomar pela emoção.

Umas das cenas finais, em que Elio interage com seu pai é uma cena arrebatadora que provavelmente te levará as lágrimas.

Call me by Your name é um filme mega bem dirigido, de roteiro e atuações incríveis, Além de ser um belíssima história de amor( uma experiência rara) que vale a pena ser vista no cinema.

Spoiler leve. Caso não queira, melhor não ler:
Voltando para casa questionei-me sobre a presença de moscas quase que no filme inteiro.

Conversando com um amigo chegamos a conclusão (principalmente pela cena final) que as moscas são uma metáfora proposital no filme. Moscas vivem pouco mas vivem intensamente assim como foi o relacionamento deles…

Crítica do filme “Call Me By Your Name” 12