O primeiro evento chamado “Comic Con” aconteceu em 1968 em Birmingham, na Inglaterra.
Tratava-se de um encontro de fãs de quadrinhos, onde eles compartilhavam interesses e paixões.

Com o aumento da popularidade de outras mídias e vertentes da fantasia e ficção nos anos 80, 90 e com ápice nos anos 2000, os encontros passaram a incluir experiências para os aficionados por desenhos animados, cinema, séries de TV, jogos eletrônicos e outras atividades relacionadas à cultura pop.

Atualmente, as maiores comic con do mundo, como a de San Diego, New York e Salt Lake City (as três nos Estados Unidos) reúnem grandes nomes da indústria de entretenimento, entre artistas, produtores e empresas do segmento.
Em três edições, registrando 196 mil visitantes em 2016, a CCXP superou as demais edições internacionais, tornando-se assim a Comic Con com o maior público do mundo.

A CCXP é um evento que traz novidades da cultura pop e geek, lançamentos de filmes, painéis exclusivos, exposições, quadrinistas incríveis, lojas, colecionáveis e um ambiente no mínimo memorável para todos os participantes.

O Brasil, apesar de ter a maior Comic Con do mundo com a CCXP em SP, ainda está longe de ter uma cultura de CC como a dos EUA, seja pela quantidade de eventos que acontecem no País, seja pelas celebridades.

Enquanto isso, nossa AGENDA continua crescendo e, comemorando os 40 Anos de Star Wars e o tal do Dia da Toalha, dois novos eventos se revelam ao Universo: Geek City e Comic (Con) Floripa, ambas acontecendo, veja só, Setembro, além, claro da CCXP em dezembro.

A Geek City, de Curitiba, é aquela que acontece primeiro: entre 1º e 3 de Setembro. Organizada pela Seven Entretrenimento, eles pretendem reunir 10 mil pessoas por dia no Expo Renault Birigui. “Curitiba sempre pareceu o local ideal para reunir os fãs de cultura pop da região sul do país e além”, afirmou Bruno Neves, diretor da organizadora. Não há, ainda, nomes de atrações confirmadas, mas o evento promete “atrações nacionais e internacionais ligadas a cinema, games e tecnologia”.

A venda de ingressos é feita pelo site http://geekcity.com.br, e os valores vão de R$ 45 (meia-entrada, sexta-feira de evento) a R$ 260 (inteira para os três dias de convenção).

No dia 7 de setembro, aproveitando o feriado, rola a Comic (Con) Floripa lá na capital de Santa Catarina. Já está confirmada a presença do editor Sidney Gusman, editor das Graphic MSP, além de prometerem a presença de 40 quadrinistas “de renome nacional”. Na programação consta que serão três auditórios diferentes.

Apesar de ter a duração de apenas um dia, essa Comic Con lembra muito a de San Diego lá nos primórdios: ela vai acontecer em um hotel (o Castelmar) de uma importante cidade litorânea, além de ser bastante focada em quadrinhos – inclusive, vão celebrar os 100 anos do mestre Jack Kirby, que seriam completados agora em 2017. Os ingressos também estão sendo vendidos no site http://ccfloripa.com.br/site/, com valores entre R$ 40 (meia no primeiro lote) a R$ 140 (inteira na porta do evento).

Nenhum desses eventos está usando “comic con” ou “comic-con”, escritos exatamente dessa forma, em seus títulos, isto acontece para evitar processos, pois se arrasta no INPI aquela decisão sobre o registro dessas duas marcas. Em 2014, os organizadores da CCXP pediram o registro da versão sem hífen, enquanto a San Diego Comic Convention, os responsáveis pela versão mais famosa, entraram com um recurso e também pediram o registro de uma das variantes, mas aquela com hífen.
E aí a vítima acabou sendo a pequena Santos Comic Con, que foi obrigada a mudar de nome para Santos Comic Expo.

O INPI juntou todas essas disputas em uma só análise, que ainda não saiu. Quem se deu bem, até agora, é o pessoal da Reed Exhibitions Alcântara Machado, que efetivamente conseguiu o registro das marcas São Paulo Comic Con e SP Comic Con, um evento que, até hoje, nunca saiu do papel.

Já a maior do mundo, CCXP, acontece em SP, de 07 a 10 de dezembro deste ano no São Paulo Expo Center e os ingressos estão a venda no site http://www.ccxp.com.br.