O protesto contra prisões em manifestações no Rio, na noite de 25/09/2013, foi marcado por novas detenções e pelo diálogo com um promotor, que antecipou a ativistas o pedido do fim da Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo (Ceiv), confirmado pelo Ministério Público (MP) à noite.

Mais de dez pessoas foram detidas por esconder o rosto, ação que é considerada ilegal em manifestações públicas. Dentre todas as prisões, capturaram o “Batman”.

Eron Moraes Melo, que estava fantasiado de Batman e foi levado à delegacia após se recusar a tirar o disfarce. Às 20h30, ele voltou à manifestação, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), sem a máscara, mas voltou a colocá-la, até a manifestação ser dispersada, por volta das 21h.

Eron Moraes Melo vestido de Batman

Eron Moraes Melo vestido de Batman

“Eu sabia que poderia ser detido. Fiz isso conscientemente. Expliquei na delegacia que é um protesto contra essa lei abusiva que proíbe o uso das máscaras. Ela tem que ser derrubada”, declarou o Batman à imprensa.

Segundo Eron, os policiais o levaram a delegacia, sem violência. Ele fez um registro de ocorrência e se comprometeu a voltar para prestar esclarecimentos. Antes, ao ser levado para o camburão da PM, ele havia dito não ser contra a instituição Polícia Militar, mas sim contra “um ditador chamado Sérgio Cabral”.

"Batman" é preso no Rio