Com o tema “Cidade Educadora”, a 8° edição do ENTRETODOS – Festival de Curtas de Direitos Humanos acontece de 05 a 09 de outubro em 76 pontos de exibição como centros culturais, salas de cinema, cineclubes, CEUs, escolas municipais, praças e parques que abrangem todas as regiões da cidade de São Paulo. Serão mais de 300 exibições. TUDO COM ENTRADA GRATUITA

 

Na “Mostra Competitiva” o ENTRETODOS 8 exibirá 28 curtas, sendo 14 nacionais e 14 internacionais de países como Senegal, Alemanha, Singapura, França, Reino Unido, Irã, França, Iraque, Ucrânia, entre outros. O festival tem o objetivo de promover o cinema independente, valorizando o audiovisual como ferramenta de formação de educadores e o aproximando da população.

 

Os curtas estão divididos nos programas temáticos: “Vozes Urbanas”, “Possibilidades”, “Na lata”, “Incêndios” e “Visão de dentro”. Com curadoria de Manuela Sobral e Jorge Grinspum, a oitava edição do Festival, ainda contará com uma Mostra Infantil e outra Juvenil.

 

A condição feminina e o debate sobre aborto são temas de destaque na programação deste ano, segundo a curadora Manuela Sobral.  “Há também mais diretoras mulheres competindo nesta edição do festival. Outro ponto que chamou atenção foi a grande participação de filmes internacionais – a maior em todas as oito edições do Entretodos”, observa.

 

Os curtas premiados pelo Júri Oficial irão juntar-se ao vencedor do Melhor Curta-Metragem escolhido pelo voto popular. O valor das premiações chega a R$ 7 mil. Nesta edição, o Júri é formado por Cláudia Mogadouro (ECA-USP), João Whitaker (FAU-USP), Letícia Santinon (CCSP), Mariana Coelho (SPCine) e os cineastas Francisco César Filho, Jurandir Müller, Matias Mariani, Renato Barbieri e Tata Amaral.

 

O Festival também contará com alguns eventos paralelos. No dia 06/10 às 14h a Fundação Gol de Letra receberá para um bate-papo a diretora Carol Rodrigues do curta “A boneca e o silêncio”. Já no dia 07/10 o diretor e roteirista Rafael Aidar do curta “Submarino” marcará presença no Instituto Criar junto com a Psicóloga e  Pesquisadora da Interface Ser Humano, Andréa Jotta.  Ainda no dia 07/10 às 19h, a Fundação Tide Setubal recebe Louis Mota, diretor  d“Mc Don’t”.

Inscrições abertas para o ENTRETODOS 6 – Festival de Curtas Metragens de Direitos Humanos

Premiação

 

A cerimônia de Premiação do 8º ENTRETODOS, marcada para 09 de outubro a partir das 18h no Centro Cultural São Paulo (CCSP), anunciará os vencedores de todas as categorias, que serão exibidos durante a Mostra dos Vencedores na programação do III Festival de Direitos Humanos – Cidadania nas Ruas, programado para dezembro. Após a premiação haverá sessão com os premiados.

O ENTRETODOS 8 é realizado em parceria com as secretarias municipais de Cultura (SMC), de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e de Educação (SME).

 

 

A programação completa do EntreTodos estará disponível no site www.entretodos.com.br e a fanpage do Festival pode ser acessada no endereço www.facebook.com/entretodos.

 

Serviço:

 

ENTRETODOS 8 – Festival de curtas de Direitos Humanos

Quando: 05 a 09 de outubro

Onde: 78 pontos de exibição nas 5 regiões da cidade de São Paulo

Entrada Gratuita

Mais informações: www.entretodos.com.br

 

**** Conheça os curtas que estão na programação competitiva do Entretodos 8:

 

Programa 1- Diversidades:

 

“SUBMARINO” de Rafael Aidar / 20`- Brasil (2014)

Dois anos após a morte de seu companheiro, Olavo vive isolado aos 85 anos. Na solidão do luto ele se aventura pelo mundo virtual.

 

“OUCH” de Fred Joyeux/  3’ – Senegal  (2013)

A identidade do homem não é mais o que costumava ser …

 

“ARIANAS” de  Hylnara Anny e  Vidal Oliveira/ 15’ – Brasil (2014)

sinopse:  construção, na imensidão da vida.

 

“SAFE SPACE” (Espaço Protegido) de Zora Rux / 13’ – Alemanha (2014)

Patrick e Sara vivem uma história de amor. Eles também estão lutando pelos direitos dos refugiados em Berlim.

 

“THE GIRL AND HER TAIL” (A garota e sua calda) de Yong Jie Yu Yong / 3’ – Singapura (2014)

A garota gosta da sua calda ?

 

“LE TEMPS D’UM TANGO” (O tempo de um tango) –  de Frédéric Hontschoote / 5’ – França (2014)

Um homem idoso senta-se sozinho em um baile de tango cheio de jovens bailarinos. Ele está entediado, até que chega uma mulher de sua idade.

 

 

Programa 2 – Distâncias:

 

“DORSAL” de Carlos Segundo e Cristiano Barbosa/ 25’ – Brazil,  Reino Unido (2015)

Entre continentes pulsa um oceano de histórias. Memórias conservadas no sal de uma distância atlântica.

 

“E O AMOR FOI SE TORNANDO CADA VEZ MAIS DISTANTE” de Alexsander de Moraes/  9’ –  Brasil (2014)

A história de Mônica, que se tornou cega aos 21 anos, e como ela percebeu que estava perdendo a visão.

 

“A BONECA E O SILÊNCIO”  de Carol Rodrigues / 19’ – Brasil (2015)

Marcela toma uma decisão…

 

“MORE THAN TWO HOURS” (Mais de duas horas)  de Ali Asgari/ 15’ – Irã (2013)

São 03h da manhã, um menino e uma menina estão vagando na cidade a procura de um hospital para curar a garota, mas é muito mais difícil do que eles pensavam.

 

Programa 3 – Olhares:

 

“TONY” de Benoit Bouthors / 20’ – França (2015)

Enquanto um estranho eclipse mergulha o mundo no caos, Tony tenta sobreviver.

 

“BEATITUDE”  de Délio Freire/  15’ – Brasil (2015)

Releitura do mito de Anastácia, a escrava divinizada pela cultura afro-brasileira.

 

“DISRUPTION”  (Rompimento) de Felipe Frozza e UFlämig / 5’ – Brasil /Alemanha (2015)

As dificuldades de uma dançarina em frente ao muro entre Israel e Palestina.

 

“DEJÃ VU”  de Bruno Autran – 3’ – Brasil / Argentina (2015)

Um poema visual e sonora sobre um homem e o tempo. Um homem no tempo. O tempo a partir do homem.

 

“JOSÉ BEZERRA” de Pedro Medeiros – 15’ – Brasil (2015)

Bezerra, é o relato poético em forma de imagem e movimento da pessoa por trás das lentes e da relação entre fotografo e o seu motivo.

 

“O FIM É O COMEÇO”  de Agner Rebouças, Bruno Pere, Rodrigo EBA!, OTA, Thiago Vaz/  5’ – Brasil (2015)

Em meio à luta por espaço entre diferentes tipos de arte urbana, personagem de graffiti percorre seu caminho até se ver em um museu.

 

“SECTORES” de  Luciana Rojo/ 10’ – Argentina (2015)

No final da tarde no campo, depois de um dia de trabalho, Juan transforma lenha.

 

Programa 4 – Dualidades:

 

“PAIXÃO NACIONAL” de Jandir Santin – 16’ – Brasil (2015)

Café, 17 anos, morador da periferia de Curitiba, encontrou o celular de Lina, 17 anos, que veio da Alemanha pra ver a Copa, e agora eles irão se encontrar.

 

“MANCHA DE SANGUE NO PORCELANATO”  de Fernanda Sales Rocha /16’ – Brasil (2015)

Uma reunião de condomínio discute um acidente ocorrido com o filho de uma das famílias de residentes.

 

“MICROPHONE” de Kareem Ghafur / 9’ – Iraque (2015)

Uma criança entra em uma mesquita para urinar e desaparece. A mãe quer ir para a mesquita para encontrar seu filho, mas não é permitido.

 

“I STAY” (Eu fico) de Oleksandr Soldatov/ 11’ – Ucrânia (2014)

Nem todo mundo é capaz de estar no lugar em que o mundo muda. Tive sorte. Eu estava lá. Mas em algum momento do tempo, percebi que eu estou tomando parte na guerra. E eu deveria estar pronto para isso.

 

“UM DIA” de Ângelo Defanti /  20’ – Brasil (2015)

Marcelo vive um dia nublado no Rio de Janeiro.

 

Programa 5 – Extremos:

 

“ENQUANTO O SANGUE COLORIA A NOITE, EU OLHAVA AS ESTRELAS”  de Felipe Arrojo Poroger / 15’ – Brasil (2015)

Na sala, o coronel vegeta. Na escola, o seu filho mais novo é atormentado por outros alunos. Enquanto isso, o mais velho apenas observa, calado, a falência dos homens.

 

“COLONIA PENAL” de Marco Escrivão/ 10’ – Brasil (2015

Livro adaptado da obra de Franz Kafka Inspirado na história recente e presente.

 

“MENINO DO DENTE DE OURO” de Rodrigo Sena/ 15’ – Brasil (2014)

Na ida para o colégio, Wesley, 12 anos, acaba se envolvendo em uma trama perigosa e lucrativa.

 

“MC DON’T” (MC Não) de Louis Mota/ 5’ – Brasil (2014)

O cotidiano de uma rede de fast-food. Funcionários são treinados e submetidos a procedimentos, ações pseudo-motivacionais e métricas, em detrimento das relações humanas.

 

“MARIUS”  de Pierre-Julien Fieux / 4’ – França (2014)

Ele abafa seu dia em álcool, cai, levanta-se, desce novamente; uma luta contínua contra este companheiro que ele não pode se livrar.

 

“FACING OFF” (Mudando de cara)  de Maria Di Razza/ 8’ – Itália (2014)

Uma mulher decide realizar cirurgia plástica para dar a sua vida uma mudança radical. Depois que a alteração for concluída, ela é ainda mais infeliz do que antes.