Foi inaugurado em São Paulo, no dia 04/06/2013, um laboratório que parece saído de um filme de ficção científica, pois utiliza robôs para recuperar os movimentos de pacientes com deficiência motora.

O espaço é uma parceria entre a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Secretaria da Saúde e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, e é ligado à Rede Lucy Montoro, referência no tratamento de reabilitação.

[dt_divider style=”double-gap”/]

SP ganha laboratório de robótica para reabilitação de deficientes

O  Laboratório de Neuromodulação e Robótica , que fica na vila Mariana, em São Paulo, e dispoem de equipamentos capazes de simular uma escada, por exemplo, com movimentos de subida e descida.

SP ganha laboratório de robótica para reabilitação de deficientes

Entre vários dos mais modernos equipamentos do mundo, há máquinas que podem também ajudar o paciente a recuperar os movimentos das mãos e dos braços. O tratamento é considerado pioneiro no país.

O termo “robô” vem do tcheco robota (trabalho forçado), e foi usado pela primeira vez em 1920 por Karel Čapek na peça de teatro R.U.R. (Rossum’s Universal Robots). O autor de ficção científica russo-americano Isaac Asimov foi responsável por popularizar o termo, com o livro Eu, robô.

A robótica é a ciência que busca dar autonomia para as máquinas, de forma que possam tomar decisões e executar, sem intervenção externa, tarefas que anteriormente estariam sob a responsabilidade de seres humanos.