Quem é o Homem de Preto em Westworld?

/, Curiosidades, Nerd/Geek, Notícias, Séries/Quem é o Homem de Preto em Westworld?

Coluna extra em homenagem ao último capítulo da segunda temporada de Westworld 

Está chegando o final da segunda temporada de Westworld neste domingo, 24/06/2018, e será um super episódio de 1 hora e meia. Para amenizar um pouco o hype que já está gigante e diminuir a ansiedade, vamos falar sobre a teoria mais discutidas, entre todas, da série.

William é um anfitrião???

­

Essa é uma das maiores questões não respondidas até agora. E vou explicar a minha teoria sobre isto.

Um argumento convincente é que é William -que vemos no parque- é na verdade um anfitrião. Mas não tem consciência disso. E há muito mais tempo do que se possa imaginar…

No episódio de abertura desta temporada, ficamos sabendo que a Ford codificou um jogo projetado para William chamado “The Door”(a porta).

“Agora você está no meu jogo”, Ford disse a William através do seu anfitrião infantil. “Neste jogo, você tem que recuperá-la. Neste jogo, você deve encontrar a porta. Parabéns William. Este jogo é para você. O jogo começa onde você termina. Termina onde você começou.”

A verão jovem anfitrião de Ford contou a William sobre “The Door”. ( A Porta)
O co-criador de “Westworld”, Jonathan Nolan, disse que cada temporada do programa tem seu próprio título. A primeira temporada foi “The Maze”( O labirinto) e a segunda temporada é “The Door”. (A Porta)

O labirinto destacou-se tanto no episódio final da primeira temporada, com Dolores finalmente alcançando a consciência e o público percebendo as motivações de Arnold e Ford com o parque. Portanto, a importância da porta será um aspecto importante do final desta temporada.

Então, e se “a Porta” envolvesse William precisando confrontar a revelação de que ele é um anfitrião?

Se Ford tivesse, com sucesso, construído um anfitrião William (diferente de tudo que vimos até agora) que nem ele perceba que é um anfitrião, isso significaria que Ford teve sucesso onde o próprio William falhou (com o anfitrião James Delos).

Talvez o jogo que a Ford estabeleceu para William seja uma jornada que lentamente permite que sua nova mente híbrida humana-hospedeira acompanhe a realidade.

“O jogo começa onde você termina”, disse Ford. “Isso termina onde você começou.”

Se começou com a criação literal de William e então termina com William chegando ao lugar onde foi criado, isso se encaixaria com o título da temporada. “A Porta”.
Isso me lembrou uma citação que adoro:
Quando as portas da percepção forem abertas, veremos tudo como realmente é: infinito. (William Blake)

Ford adora citar Blake no show.
No 4 episódio Ford falou com William através de um anfitrião:
“Você ainda não entendeu o jogo real que estamos jogando aqui”, disse Ford (via filha-anfitriã de Lawrence que é uma garota apache). “Se você está olhando para frente, está procurando na direção errada.”

Se a direção certa está para trás, talvez William esteja a caminho de descobrir sua própria criação, o que aconteceu em algum momento muito distante.

Há ainda neste quarto episódio a menção que há um anfitrião andando pelo mundo real como se fosse um deles…
Mais pistas da primeira temporada que podem corroborar à esta teoria.
Ford disse a William que o labirinto “não foi feito para ele” na última temporada – é projetado apenas para os anfitriões que ainda não estão conscientes. Mas se William é o primeiro humano-anfitrião de sucesso, então ele não precisaria do labirinto.

Então houve a primeira e última vez que vimos Ford e William falando um com o outro. No quinto episódio da primeira temporada, Ford entrou no parque para falar com William em um bar. William pensou que Ford estava tentando impedi-lo de encontrar o centro do labirinto.

“Longe de mim atrapalhar uma viagem de auto descoberta”, disse Ford.

Também é digno de nota que Ford estava tocando “Clair de Lune” por Debussy no piano, assim que William entrou no bar durante essa cena. “Rêverie”, de Debussy, está ligado a Arnold e à crescente consciência dos anfitriões, o que significa que a presença de outra música de Debussy nessa cena poderia ter sido um aceno intencional à ligação entre William e os anfitriões.

Tenho ainda mais certeza disso depois de assistir o 9 episódio da temporada. A esposa de William explicou na festa que ele sempre sabia como fingir bem, mas que só ela percebia. Que ele se infiltrou como um câncer na família. Ela levou seu irmão para a morte (depois ela mesma se matou), sobreviveu à morte de seu sogro e acaba mantendo sua própria filha no episódio …
Isso me faz pensar que o primeiro homem de preto bugou e destruiu o parque. Há 35 anos deixando Ford com grande prejuízo. Então Ford, precisando de dinheiro para reconstruir o parque, criou William (uma segunda versão de “homem de preto” mas agora híbrido) e o fez se infiltrar na família para atrair o investimento da enorme fortuna da família Delos. Dessa forma, Ford teria a fortuna de Delos para investir no parque e o controle sobre William o deixaria fazer o que quizesse em sua empresa.
Provavelmente a esposa se matou porque viu que ele era um projeto número 2. Um anfitrião. Um misto de humano e robô(estilo seuqência de Blade Runner que podem envelhecer). Que ela morava ao lado de um andróide. Que toda a sua vida foi uma mentira …


A filha do casal pode muito bem ser adotada. O que justificaria não ter mais filhos, já que William não poderia gerar.
Mas eu não acho que William saiba que ele é um anfitrião. E, espero sinceramente, ser confirmado isto nesse episódio final que promete explodir nossas mentes. Que se abra “A Porta”!!!


Texto da colunista Lorena Soeiro, nerd, professora e tradutora de língua inglesa, cosplayer, roqueira, leitora de ficção, apaixonada por séries e documentários, cinéfila. colecionadora e louca por Tim Burton.

@lorenasoeiro

2018-06-20T18:40:05+00:00